Projecto de Inclusão Social e Produtiva prevê até Março de 2020 cadastrar 22 mil famílias mais vulneráveis do país – ministra

Cidade da Praia, 09 Dez (Inforpress) – A ministra da Família e Inclusão Social destacou hoje a importância do Projecto de Inclusão Social e Produtiva, declarando que, até Março de 2020, através do mesmo, deverão estar cadastradas 22 mil famílias mais vulneráveis do país.

Martiza Rosabal falava à imprensa à margem do encontro de socialização do Manual de Gestão Descentralizada e de Transferências das subvenções do Projecto de Inclusão Social, realizado hoje na cidade da Praia, elucidando que o referido projecto visa criar melhores condições às famílias em situação de pobreza no país.

O projecto, que abrange nove municípios do país, prosseguiu, é financiado pelo Banco Mundial no valor de 10 milhões de dólares, será implementado pelas câmaras municipais, permitindo as mesmas terem acesso a todos os procedimentos, e até 2020 abranger todas as famílias do grupo 1.

“Até Março de 2020, 22 mil famílias têm que ser cadastradas, que são as 22 mil famílias do grupo 1, que é o grupo dos mais pobres e por cada uma destas famílias são escudos”, disse, reforçando que por cada família cadastrada a câmara municipal recebe 1500 escudos, mas que esse valor irá depender de quantas famílias conseguir cadastrar.

Destacou, neste sentido a importância do cadastro social que, no seu entender, permite saber em que grupo a família está classificada de acordo com o grau de vulnerabilidade e identificar qual a vulnerabilidade específica, adiantando, que até a presente data, já foram cadastrados para o rendimento, cerca de 44 mil agregados familiares do grupo dos mais vulneráveis e vulneráveis.

Por seu turno, o vice-primeiro ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, defendeu que o Governo e as câmaras municipais têm que trabalhar juntos, para partilha de experiências, revelando que o Governo investe actualmente cerca de 7,4 milhões do Orçamento de Estado só para transferência directa do recurso financeiro para as famílias cabo-verdianas.

“A inclusão social para nós é um tema muito importante, somos um Estado com enorme preocupação social e queremos continuar a trabalhar nesta matéria, por isso queremos atingir 4 mil pessoas com o orçamento de Estado para 2020”, afirmou.

Destacou, por outro lado, a importância do Cadastro Social Único, defendendo a necessidade de haver sempre uma maior transparência na selecção, rigor na escolha e ter metas e objectivo para o alcance dos resultados positivos.

CM/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos