Programa Piloto Visa Bond não se aplica a “praticamente” ninguém em Cabo Verde – Embaixada dos EUA

Cidade da Praia, 25 Nov (Inforpress) – A Embaixada dos Estados Unidos em Cabo Verde esclareceu hoje que o programa Piloto Visa Bond, recentemente divulgado, é temporário e não se aplica a “praticamente” ninguém em Cabo Verde.

Em nota de imprensa, a representação diplomática norte-americana na Praia explica que Cabo Verde foi incluído no programa Piloto Visa Bond devido à alta taxa de cabo-verdianos cuja estadia nos Estados Unidos ultrapassa o limite dos seus vistos americanos.

“Apenas os requerentes de visto que se candidatam a vistos que sejam considerados inelegíveis para recebê-los, por exemplo, aqueles que foram condenados por crimes e que posteriormente recebam uma isenção de inelegibilidade do Departamento de Segurança Interna, deverão pagar uma caução de visto”, lê-se no documento que indica que em Cabo Verde praticamente ninguém se enquadra nesta categoria.

A mesma nota indica ainda que desde o lançamento do memorando assinado pelo Presidente dos EUA, Donald J. Trump, em 2019, a Embaixada dos Estados Unidos e o Governo de Cabo Verde têm trabalhado em conjunto para identificar formas de reduzir tais números.

“É objetivo mútuo dos governos dos EUA e de Cabo Verde ver Cabo Verde destacado como um destino turístico de classe mundial, um centro de cultura e um hub para viagens e deslocações legais e transporte seguro”, realça, sublinhando por outro lado, que a Embaixada dos Estados Unidos aplaude os esforços incansáveis do Governo cabo-verdiano para reduzir a taxa de permanência que ultrapasse o limite do visto americano.

O trabalho conjunto, realça o comunicado da Embaixada dos EUA é prova do respeito e admiração mútuos que os dois países nutrem um pelo outro.

Em Abril de 2019, o Presidente dos Estados Unidos, Donald J. Trump, assinou um Memorando Presidencial sobre o Combate às Altas Taxas de Permanência de Não Imigrantes, que exige que o Departamento de Estado e o Departamento de Segurança Interna dos EUA reduzam as taxas de permanência que ultrapassem o limite de estadia autorizado.

Cabo Verde foi um dos 21 países especificamente referidos neste memorando como tendo uma taxa de permanência para além da estadia autorizada elevada.

PC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos