Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Programa das Plataformas para o Desenvolvimento Local alargado para a ilha do Sal e Tarrafal de Santiago

Cidade da Praia, 18 Fev (Inforpress) – O encarregado de Negócios da Embaixada do Luxemburgo em Cabo Verde anunciou hoje que o Programa das Plataformas para o Desenvolvimento Local e Objectivos de 2030 será alargado para a ilha do Sal e Tarrafal de Santiago.

A revelação feita por Thomas Barbancey, durante a sua intervenção na cerimónia de abertura da V reunião do Comité de Pilotagem do Programa das Plataformas para o Desenvolvimento Local e Objectivos20/30 em Cabo Verde, financiado pelo Governo do Grão-Ducado do Luxemburgo, com suporte técnico e gestão do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

“Para que este programa e os seus efeitos tenham abrangência nacional, anuncio que, a pedido do ministro das Finanças, o Luxemburgo concorda em alargar o programa para os municípios de Sal e Tarrafal em 2021”, referiu o responsável afirmando que os recursos inicialmente orçados para actividades internacionais de promoção da cooperação descentralizada serão redireccionados para esse apoio.

Segundo Thomas Barbancey, apesar da pandemia e de uma certa desaceleração nas actividades, o programa da plataforma e do fundo de descentralização continuam a progredir, graças ao compromisso e a participação de todos no desenvolvimento dos territórios e comunidades locais.

Explicou que o programa referente ao ano 2017/2020 foi alargado por mais seis meses para garantir que todos os objectivos sejam alcançados sendo que os primeiros resultados contribuíram para os 17 municípios traçarem os respectivos plano de desenvolvimento local.

“O ano de 2021 será um ano de consolidação e encerramento do programa desta plataforma, durante o qual será fundamental garantir a sustentabilidade das conquistas, e penso em particular no interesse de institucionalizar a abordagem do planeamento estratégico local das plataformas para além deste programa e de cimentar as bases já criadas neste processo”, constatou.

Thomas Barbancey assegurou que o Luxemburgo continuará a apoiar Cabo Verde e os seus municípios neste processo de descentralização, sendo que o próximo ciclo de cooperação para 2021-2025 pretende fazer do apoio ao desenvolvimento local uma prioridade e um eixo de pleno direito da cooperação entre os dois países.

Por seu turno, o secretário de Estado Adjunto das Finanças, Gilberto de Barros, congratulou-se com o alargamento do projecto para o município do Sal e Tarrafal de Santiago, tendo realçando que a mesma terá um grande impacto na qualidade de vida das populações.

Gilberto de Barros afirmou que o programa poderá continuar nos mesmos moldes e que o financiamento poderá ser canalizado através do Orçamento de Estado, das câmaras municipais ou a nível da cooperação internacional.

“A descentralização é fundamental para o desenvolvimento, por isso temos que continuar com este projecto através de tudo aquilo que é colaboração institucional entre o Governo e as câmaras municipais”, considerou o governante que acrescentou que todas as câmaras municipais têm hoje instrumentos de desenvolvimento estratégicos e que em termos de capacitação o impacto foi enorme.

Implementado pelo Governo através do Ministério das Finanças/Direcção Nacional do Planeamento, o Programa das Plataformas para o Desenvolvimento Local e Objectivos de 2030 em Cabo Verde é financiado pelo Grão-Ducado do Luxemburgo, em 3.200.000 euros (330 mil contos), por um período de quatro anos.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos