Profissionalização dos músicos e dos criadores constituem os maiores desafios da SCM – Solange Cesarovna

Cidade da Praia, 01 Out (Inforpress) – A presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM), Solange Cesarovna, disse hoje que a profissionalização dos músicos e dos criadores constituem os maiores desafios da organização e que, por isso, tem apostado na cobrança dos direitos de autor e conexos.

A responsável fez essa afirmação no discurso da abertura da primeira conferência sobre o tema “A música cabo-verdiana”, enquadrada nas actividades comemorativas do Dia Internacional da Música, que se assinala mundialmente hoje, 01 de Outubro.

“O caminho é longo e esperamos contar com todos para juntos podermos construir um Cabo Verde dos nossos sonhos e para que os nossos músicos e criadores sejam devidamente remunerados e possamos também profissionalizar esse sector e permitir que os que transpiram as musicalidades possam viver do seu trabalho”, notou.

Para isso, adiantou que a SCM tem trabalhado “arduamente” para ajudar Cabo Verde a organizar o sector dos direitos de autor e direitos conexos, que, segundo ela, tem sido a missão da instituição desde seu surgimento.

“Temos trabalhado arduamente, dia a dia, passo a passo, para que Cabo Verde comece a ter esse sector organizado e que todos aqueles que estão a volta da criação e na área da música consigam ver os seus direitos reconhecidos”, frisou.

Sobre a conferência, disse que serve para debater e homenagear a música cabo-verdiana e os produtores, principalmente num momento em que a morna é candidata a Património Imaterial da Humanidade, junto da UNESCO.

“Temos um painel sobre a morna nas dimensões sociais e também vamos falar como é que a nossa diáspora interfere na construção e consolidação da música cabo-verdiana”, informou Solange Cesarovna, considerando esses debates importantes para a história da música de Cabo Verde.

“A morna – dimensões sociais” e a “Contribuição da diáspora para a afirmação da música cabo-verdiana” e “Defesa dos direitos do autor e conexos no país” são os temas a serem debatidos durante essa conferência.

A docente e investigadora Isabel Lobo abordou o primeiro tema “A morna – dimensões sociais”, num momento em que este género musical é candidato a Património Cultural Imaterial da Humanidade, junto da UNESCO, iniciativa apoiada pela SCM.

Por outro lado, o segundo painel esteve a cargo do sociólogo e investigador na área da música, César Monteiro.

O debate é moderado pelo compositor Daniel Spencer, membro da direcção da Sociedade Cabo-verdiana de Música, e é aberto aos músicos, autores, compositores, artistas, estudiosos, estudantes do Ensino Secundário, bem como ao público em geral.

OM/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos