Produtores cabo-verdianos vão participar no quinto V Festival Internacional de Cinema do Caeté

Cidade da Praia, 14 Out (Inforpress) – Produtores cabo-verdianos selecionados vão participar no quinto (V) Festival Internacional de Cinema do Caeté (FICCA) que acontece nos dias 08, 09 e 10 de Dezembro, em Portugal.

Em declarações à Inforpress, o produtor Heder Savy Monteiro declarou que foi incentivado por um colega para fazer inscrição e logo depois veio a saber que o seu documentário foi selecionado, pelo que esta vai ser a sua estreia nesse evento que terá lugar na cidade do Porto, Portugal.

Conforme explicou, o documentário retrata sobre `cinemas em cabo verde´. “Foi um filme que fiz a produção para ser um projecto final da minha licenciatura, e acabou por ser útil para representar o meu país no Festival Internacional de Cinema do Caeté” revelou.

Heder Savy Monteiro, disse que o seu documentário foi selecionado para categoria de curta metragem porque o filme tem 37 minutos, embora ele esteja a concorrer por vários tipos de prémios não sabendo especificar ao certo.

“Esse documentário aborda sobre cinemas em cabo verde e tem por finalidade abranger toda a história do cinema no país, abordando o seu percurso desde a antiguidade até os dias de hoje”, sublinhou.

Já Ercie Chantre, que em 2018 tinha participado no Festival Internacional de Cinema do Caeté com um documentário sobre a `erupção vulcânica na ilha do fogo´, desta feita voltou a ser selecionado também na categoria de curta metragem.

“O meu objectivo é ver os meus documentários a serem vistos em Cabo Verde e na diáspora, pois, quanto mais longe o filme for visto melhor é a minha satisfação” frisou, explicando ainda que o seu trabalho fala sobre línguas, o crioulo e o português.

O produtor sublinha, no entanto, que seria de grande satisfação ver o seu documentário a ser transmitido no dia do festival, porque tendo em conta o momento atual derivado a pandemia da covid-19 só poderá passar os vídeos que foram selecionados.

A Inforpress soube ainda que Mário Almeida é um dos três produtores também selecionado para representar Cabo verde no evento em apreço.

O festival tem o objectivo de estimular a troca de olhares, e experiências, reunindo criadores de diversas linguagens que circulam entre centro e periferia, escolas, comunidades quilombolas, espaços culturais, religiosos e acadêmicos.

DM/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos