Primeiro voo da TUI em 12 meses provoca “forte sentimento de esperança” na retoma do turismo – Governo

Espargos, 15 Mar (Inforpress) – O Governo congratulou-se hoje com o primeiro voo da TUI, considerado o maior operador turístico mundial, que chegou domingo ao Sal com 320 turistas, provocando um “forte sentimento de esperança” na retoma do turismo no País.

Em comunicado, o Ministério do Turismo e Transportes regista “com agrado e com muita satisfação”, a retoma das operações, por ser um “sinal demonstrativo” da confiança dos turistas e do operador TUI no destino Cabo Verde.

“Traduz o redobrar da aposta do grupo hoteleiro RIU nos investimentos em Cabo Verde, traz um forte sentimento de esperança de que a retoma do turismo está a dar os seus primeiros passos, criando condições para o reinício da actividade de muitas empresas e o rearranque da economia”, refere o documento.

A nota sublinha ainda o facto de o primeiro voo da TUI ter chegado numa altura em que, concomitantemente, o País recebe o primeiro lote de vacinas da Astrazeneca, que deverá permitir o início de imunização dos profissionais do turismo e da população em geral, cujo objectivo é vacinar 70% da população durante o ano 2021.

Este voo da TUI com 320 turistas a bordo, oriundos da Polónia, acontece, aproximadamente 12 meses depois da suspensão de operações turísticas, devido à pandemia do novo coronavírus, a covid-19.

Esses turistas polacos, são os primeiros clientes a inaugurar o Hotel Riu Palace Santa Maria, mais um empreendimento do Grupo Espanhol RIU, que domingo abriu as portas, marcando a abertura do hotel, em contexto de pandemia.

De acordo com a nota informativa, a covid-19 desferiu “um duro golpe” na economia cabo-verdiana, levando a paralisação do sector do turismo em 2020, tendo provocado uma quebra do número de chegadas de turistas em 75%, comparativamente a 2019, conforme os dados do INE.

Realça, por outro lado, que os efeitos negativos não ficaram apenas pelo turismo, na medida em que houve um aumento do desemprego generalizado, as receitas fiscais experimentaram uma “quebra estrondosa”, devendo a quebra no PIB ultrapassar os 10%.

“O Governo tem feito um esforço titânico para mitigar os efeitos da pandemia no campo social e no campo económico, tendo implementado, com sucesso, medidas fiscais, laborais e financeiras tendo como fim último a protecção dos postos de trabalho e a salvação das empresas”, reforça o comunicado.

Depois de um recorde de 819 mil turistas em 2019, Cabo Verde perdeu, segundo estimativas do executivo, mais de meio milhão de turistas em 2020, devido à pandemia, estimando iniciar a recuperação da atracção turística, sector que garante 25% do Produto Interno Bruto (PIB) cabo-verdiano, ao longo de 2021.

SC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos