Primeiro-ministro ressalta “sentido de gratidão e reconhecimento” do capitão  Marco Soares

Cidade da Praia, 19 Jul. (Inforpress) – O primeiro-ministro enalteceu hoje, durante a cerimónia de homenagem de Marco Soares, o “sentido de gratidão e reconhecimento” pela “liderança, resiliência, confiança e vontade de vencer”, do capitão da selecção de futebol, que se despede dos Tubarões Azuis.

Ao condecorar o capitão com o segundo Grau da Medalha de Mérito Desportivo, Ulisses Correia e Silva disse que a resiliência demonstrada por Marco Soares, 38 anos,  espelha a realidade de Cabo Verde.

O governante comparou os feitos de Soares ao de um país com menos de 500 mil habitantes que “consegue atingir grandes feitos em competições internacionais em modalidades diversas”.

Vice-campeão d’África em Andebol e apuramento para o Mundial, assim como os feitos no basquetebol, três fases finais da CAN em futebol, para além de muitos êxitos nas provas internacionais, foram destacados pelo chefe do Governo como vontade de superação em elevar a bandeira e o hino nacional.

“Esta condecoração é também uma homenagem a todos os desportistas cabo-verdianos, as nossas selecções, uma inspiração para os outros”, explicou Correia e Silva, para quem Cabo Verde superou muito daquilo que era previsível em relação a países com capacidade competitiva elevada.

“Nós somos gratos a Marco Soares por aquilo que representa para os jovens, para a geração de jovens que devem procurar no desporto uma forma também de fazer uma vida saudável, aproveitar os seus talentos e também interiorizar os valores da família e serem melhor cidadãos”, referiu o chefe do Governo.

O primeiro-ministro prometeu ainda aproveitar a experiência de Marcos Soares para promover “Conversas Abertas com Jovens”, de modo que esta vasta prática e vivência do capitão seja transmitida à nova geração.

O capitão da selecção nacional de futebol de Cabo Verde justificou a sua retirada da selecção nacional de futebol por considerar ser altura de dar espaço para os mais jovens, mas admite “não estar preparado”.

Depois de 16 anos na selecção nacional, Marco Soares se despede da equipa com sentimento de “gratidão” e revelou que a qualquer momento pode pôr um ponto final na sua carreira de futebolista para abraçar outros projectos e dar atenção também à família.

SR/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos