Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Primeiro-Ministro prognostica “boa retoma” do turismo a partir de Setembro (c/áudio)

Espargos, 30 Abr (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, manifestou-se hoje confiante numa “boa retoma” do turismo no Inverno, de Setembro em diante, desde que toda a gente contribua para o combate da covid-19 em Cabo Verde.

O chefe do Governo fez esta previsão, na ilha do Sal, onde comunicou a situação de calamidade em Cabo Verde, face ao aumento da propagação do vírus da covid-19, depois de uma visita guiada, na parte de manhã, às dependências do Hospital Regional Ramiro Figueira.

Considerando que o aumento da propagação do vírus deve-se ao contágio de pessoa para pessoa, devido ao desrespeito pelas normas sanitárias, o governante renovou a necessidade de se reforçar todas as medidas restritivas, coercivas e de fiscalização, mas sobretudo, conforme sublinhou, medidas no sentido da responsabilidade cidadã.

Ulisses Correia e Silva observou que enquanto o turismo não reabrir, as consequências são para as pessoas, famílias, trabalhadores, que ficam sem rendimento, emprego… daí que há que dar algo em troca, e esse algo em troca, conforme enfatizou, é a mudança de atitude e comportamento de todos e de cada um.

“Quanto mais as pessoas se infectam umas às outras, quanto mais criam condições para que essa infecção exista, mais teremos casos. Quanto mais as pessoas fizerem ajuntamento, quanto menos usarem máscaras e higienização das mãos… haverá mais transmissões. As regras são sempre as mesmas: proteger”, exteriorizou, insistindo na necessidade do uso da máscara já que é um elemento de maior protecção.

Correia e Silva falou ainda em “tolerância zero” em tudo quanto é festas, ajuntamentos ou actividades que possam ser factores de transmissão porque o vírus, conforme elucidou, é idêntico em toda a parte, embora possa ter as suas mutações, “ataca da mesma forma”.

“E assim iremos controlando, e contornando, baixando o número de transmissão permite que a entrada das vacinas massificada possa produzir também outro efeito”, analisou, anunciando a chegada, brevemente, de mais lotes ao País.

“A vacinação está a um bom ritmo tendo em conta a quantidade de vacinas que temos disponíveis, AstraZeneca e Pfizer. Vamos receber mais lotes de vacinas nos próximos dias. E recebendo mais vacinas, vamos aumentar o número de pessoas a serem vacinadas”, manifestou.

Confrontado com o facto de se associar o aumento da propagação do vírus no País com as recentes actividades de campanha eleitoral, Ulisses Correia e Silva admitiu essa hipótese, compreendendo, entretanto, que não se deverá passar aos cidadãos a ideia de que há um problema político-partidário de combate à covid-19.

“A democracia tinha que funcionar, sabemos que fazendo campanhas eleitorais há ajuntamento. Temos que reforçar as medidas da mesma forma, porque não é só um problema das campanhas, é um problema das transmissões, das festas, dos ajuntamentos, do não uso de máscaras (…), justificou, alegando que tudo isso tem de ser validado e pôr o foco no “bom combate” que deve ser feito por todos.

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos