Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Primeiro-ministro pede “maior engajamento” das instituições na resolução dos problemas de infra-estruturação da Cidadela

Cidade da Praia, 01 Fev (Inforpress) – O primeiro-ministro apelou hoje a um “maior engajamento” das “instituições competentes” visando resolver os problemas de acessibilidade, saneamento e acesso à água potável, entre outros, que afectam os moradores do bairro da Cidadela.

Ulisses Correia e Silva fez este apelo em declarações à imprensa, após presidir a cerimónia de inauguração das obras de calcetamento de várias ruas na zona de Ponta D’Agua, realizada este sábado, na cidade da Praia.

Essas intervenções resultaram no âmbito de uma parceria entre o Governo e a Câmara Municipal da Praia, no âmbito do programa PRAA, e estão orçadas em 32 mil contos.

Questionado sobre as intervenções de infra-estruturação e requalificação urbana do que ainda não chegaram ao bairro da Cidadela, Ulisses Correia e Silva defendeu a necessidade de haver o engajamento das “instituições competentes” na resolução dos problemas de infra-estruturação do bairro da Cidadela.

“Acho que temos que fazer o ‘djunta mó’ da câmara municipal, Electra e da empresa Águas de Santiago (AdS), estamos a falar da água, electricidade, para dar uma solução à Cidadela, eu conheço essa realidade, espero que possamos ainda em tempo durante o nosso mandato e da câmara resolver essa situação”, declarou.

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal da Praia, Óscar Santos, afirmou que o problema básico do bairro relaciona-se com a falta de água e rede de esgoto, lembrando que o mesmo está sob a responsabilidade da AdS e que a câmara só poderá efectuar intervenções urbanísticas após a resolução desse problema.

“A AdS tem que resolver o problema de água e rede de esgoto antes de fazermos intervenções profundas no bairro porque não vale a pena colocarmos asfalto ou fazer outras intervenções para depois se abrir as vias para a instalação da água potável. Se dependesse da câmara já tínhamos feito a infra-estruturação do bairro”, revelou, lembrando que cada instituição tem as suas funções, e que caso a câmara avançar sem as intervenções da AdS, estaria a desperdiçar investimentos.

Entretanto, avançou que as intervenções previstas para Cidadela atingem um valor elevado, referenciando, por outro lado, que a câmara da Praia já reuniu algumas vezes com os moradores do referido bairro tendo a infra-estruturação sido o tema central dos encontros.

CM/AA

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos