Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Primeiro-ministro diz que é um “casamento perfeito” a inauguração da Casa do Benfica no Largo Eusébio Ferreira

Cidade da Praia, 30  Jun. (Inforpress) – O primeiro-ministro,  Ulisses Correa e Silva, disse hoje que a inauguração da primeira Casa do Benfica em África no Largo que sustenta o nome de uma das maiores glórias do clube da Luz, Eusébio Ferreira, é um “casamento perfeito”.

O chefe do Governo fez estas declarações à imprensa à margem da inauguração da Casa do Benfica situada no maior bairro do país, Achada de Santo António, na cidade da Praia.

Lembrou que o saudoso Eusébio esteve no referido Largo quando a Câmara Municipal da Praia o homenageou, atribuindo seu  nome à rua hoje transformada em pedonal.

“Na altura, já se pensava na criação da Casa do Benfica e houve todo um desenvolvimento de negociações  e conseguiu-se ter aqui uma Casa do Benfica de referência, que faz uma pequena réplica do Estádio da Luz”, precisou Ulisses Correia Silva que, no início de todo o processo para a construção da referida infra-estrutura, era presidente da Câmara Municipal da Praia.

Para Correia e Silva, a Casa do Benfica  em Achada de Santo António valoriza este bairro, onde a presença benfiquista é “muito forte”.

Instado se a primeira Casa do Benfica em Cabo Verde constitui um orgulho para o país, afirmou que sim e lembrou que desde a primeira hora o presidente Luís Filipe Vieira defendeu  que desejaria algo que pudesse ser “referência para outras Casas do Benfica no mundo.

Sobre a criação de uma escola do Benfica na Praia, o primeiro-ministro assegurou que esta hipótese havia sido avançada, quando de uma visita de Luís Filipe Vieira à capital cabo-verdiana.

“Creio que ainda está de pé a possibilidade da  criação de uma escola para permitir que jovens e crianças possam ter iniciação no desporto”, enfatizou Correia e Silva, para quem  Cabo Verde tem “muitos talentos, alguns dos quais já passaram pelo Benfica e pela própria selecção portuguesa”.

“Neste momento, há três cabo-verdianos na selecção portuguesa e mais um bisneto de cabo-verdianos (Cristiano Ronaldo)”, sublinhou, acrescentando que o arquipélago dispõe de matéria-prima para ser trabalhada em termos desportivos,  capaz de permitir ao país contar com “bons talentos que possam representar a selecção nacional e também  serem bons actores nos palcos mundiais”.

Apesar de não ser benfiquista, já que é adepto do Sporting Clube de Lisboa,  o primeiro-ministro fez questão de realçar que o clube da Luz  é uma “marca internacional, o maior embaixador de Portugal e presente em todas as comunidades lusófonas”.

Diante do apelo do edil praiense no sentido de continuar a apoiar a Casa do Benfica em Cabo Verde,  o chefe do Governo  garantiu que o Largo Eusébio da Silva Ferreira vai ser “objecto de intervenções com vista a melhorar o nível da  iluminação pública”.

Para o presidente da Casa do Benfica na Praia, Lumumba Barbosa, doravante há “novos desafios” que impendem  sobre os ombros dos responsáveis que vão no sentido de fazer com que a infra-estrutura ora inaugurada “funcione com qualidade e dinâmica”.

“Somos a única casa oficial (do Benfica) em toda a África dotada de um dos mais modernos sistemas montados e que nos permitem prestar todos os serviços do Benfica”, indicou Lumumba Barbosa.

Por seu turno, o vice-presidente do Sport Clube Benfica de Lisboa, Alcino António,  recordou, de forma emocionada, o falecido de Carlos Alhinho que, segundo ele, foi uma das estrelas do futebol cabo-verdiano que passaram pelo Benfica, tendo  feito 90 jogos pelo clube, além de ter envergado a camisola da selecção portuguesa.

Recordou, ainda, Alberto Gomes,  que fez 120 jogos pelo clube da Luz e, não obstante ter nascido na Guiné-Bissau, adoptou Cabo Verde como seu país.

“Quando se lesionava, acreditava que eram as areias quentes das praias de Cabo Verde que lhe tratavam as lesões e vinha para cá”,  declarou Alcino António, referindo-se  à antiga glória do Benfica, Alberto Gomes.

A anteceder à inauguração da Casa do Benfica, que contou com a presença da antiga glória dos encarnados, Pedro Mantorras, o pároco da freguesia  de Nossa Senhora do Socorro, o padre  Canstantina Bento,  implorou  a bênção  de Deus sobre a nova infra-estrutura no Largo Eusébio, com o apelo para que seja “bem utilizada e sirva a comunidade local e não só”.

LC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos