Primeiro-ministro defende criação de novos patamares de parceria com os países amigos

 

Cidade da Praia, 04 Jul (Inforpress) – O primeiro-ministro defendeu hoje que já é hora de se pensar em novos patamares de parceria entre Cabo Verde e os países amigos que estiverem sempre ao lado do arquipélago nesses 42 anos de independência.

O repto foi lançado por Ulisses Correia e Silva em declarações à imprensa no final do encontro do Governo com as missões diplomáticas e organizações internacionais acreditadas em Cabo Verde, que teve lugar nas instalações do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, na Cidade da Praia.

“Em primeiro lugar, quero agradecer todo o empenho que durante este período longo de 42 anos estiveram juntos com Cabo Verde, com o seu crescimento e com o seu desenvolvimento, e reafirmar a necessidade de desenvolvermos novas fases e novos patamares de parcerias”, afirmou.

O chefe do executivo sublinhou ainda a necessidade de se “acelerar o processo de crescimento e desenvolvimento do país” e indicou que a colaboração dos parceiros de Cabo Verde ainda continua a ser necessário, quer em termos de apoio às reformas ou de apoio no “esforço” de infraestruturação.

Entretanto, Ulisses Correia e Silva frisou que deixou claro aos embaixadores, que o país está a fazer “fortes” apostas no investimento, na atração do turismo, no comércio e na mudança do perfil da economia cabo-verdiana, como forma de deixar de ser “tão dependente” de transferências externas e passar a exportar mais.

Nssa prespectiva, sublinhou que várias parcerias vão ser desenvolvidas, a começar pela Parceria Especial com a União Europeia, sem esquecer as relações “privilegiadas” com os Estados Unidos da América (EUA) e com a China, assim como outras relações bilaterais com diferentes países.

O propósito, acrescentou, é fazer com que essa “nova fase” seja de “sucesso” para Cabo Verde e dar à geração actual as condições de um país com maior crescimento, maior emprego e melhores condições de vida.

A África, sustentou, terá um “peso importante” nesta nova fase, nomeadamente a nível da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), em que o país já reafirmou o seu empenho de ter uma participação política activa, sempre defendendo os interesses e as especificidades de Cabo Verde, e fazer com que tenha presença efectiva nos cargos na organização.

Por isso, sublinhou Ulisses Correia e Silva, o Governo está a trabalhar para que Cabo Verde possa assumir, já na próxima semana, a presidência da CEDEAO, sem esquecer a presença, ainda este ano, de uma representação diplomática em Abuja, para poder estar “mais próximo e influenciar os acontecimentos”.

Logo após o encontro, as missões diplomáticas e organizações internacionais acreditadas em Cabo Verde deslocaram-se à Cidade Velha onde terão também um encontro com o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas nas ruinas da Igreja de São Francisco e um almoço.

DR/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos