Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Primeiro dia da greve dos bombeiros da Praia com adesão de 70% – Sindicato

Cidade da praia, 12 Abr (Inforpress) – O primeiro dia da greve dos bombeiros da Praia, agendada para hoje e terça-feira, para chamar atenção da autarquia para o cumprimento das promessas e obrigações, contou com a adesão de 70 por cento (%), segundo o Siacsa.

À imprensa, o vice-presidente do Sindicato da Industria Geral Alimentação Construção Civil e Afins (Siacsa), Davidson Lima, disse que houve justificativas relacionadas com a mudança de gestão política na autarquia, mas reiterou que os trabalhadores não têm nada a ver com o partido político que está no poder, mas sim com a própria câmara municipal.

A autarquia, afirmou este sindicalista, comprometeu-se com os bombeiros que colocaria todas as reivindicações no seu orçamento e que seria aplicado de imediato, mas não foi o que aconteceu.

“Todos os eleitos do povo, não fazem nada e violam sistematicamente os direitos do povo”, ressaltou, salientando que a greve é para manifestar o “descontentamento e  a indignação” em relação às acções da câmara sobre a situação laboral dos bombeiros.

Davidson Lima reiterou que todos os partidos eleitos vêm violando “sistematicamente” os direitos assistidos aos trabalhadores e não cumprem com as obrigações enquanto empregadores.

Segundo este responsável, em causa está o não cumprimento dos acordos celebrados, a violação sistemática dos direitos do trabalhador, o não se saber precisar o tempo dos compromissos assumidos, o pagamento dos direitos dos trabalhadores relativamente a progressão na carreira profissional, a falta de meios humanos no seio dos trabalhadores, entre outros aspectos.

Durante a greve os bombeiros ostentavam cartazes e proferiram frases como “Basta de Cassubody, Falso promessa, Socorro”, “Arrogância e abuso de poder”, “Justiça, PCCS até quando?”, entre outras.

O bombeiro José Varela, em nome dos colegas, disse que partiram para greve para reivindicarem seus direitos que estão sendo violados “já lá vão muitos anos”, por isso estão pedindo socorro a quem de direito para resolverem seus problemas porque estão sendo prejudicados.

TC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos