Primeira fase do Parque Tecnológico de Cabo Verde estará pronta em 24 meses – arquitecto responsável

 

Cidade da Praia, 06 Jul (Inforpress) – A primeira fase do Parque Tecnológico de Cabo Verde estará pronta em 24 meses, anunciou esta quarta-feira, o arquitecto responsável do projecto, na cerimónia de lançamento da primeira pedra para a construção do mesmo.

No acto, presidido pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, o arquitecto Fernando Maurício Santos explicou que o parque, situado em Achada Grande Frente, Cidade da Praia, vai ocupar uma área de nove hectares e com várias valências, estando equipado com um conjunto de edifícios motores que vão alavancar investimentos privados na área das tecnologias de informação e comunicação (TIC).

“É um investimento público que vai consistir na construção de um parque de cinco edifícios, um centro de negócios, um centro de dados, um centro de incubação de empresas do país, centro de formação e treinamento e centro cívico”, indicou.

Por sua vez, o primeiro-ministro sublinhou que a edificação do parque que vai completar o Data Center, enquadra-se naquilo que são os novos combates que o país tem pela frente, da tecnologia, da ciência, do empreendedorismo e da inovação.

“A ambição é de colocar o parque e o Data Center como referências regionais de serviços tecnológicos em África”, sublinhou Ulisses Correia e Silva, indicando que a aspiração, também, é que o parque possa servir de plataforma de prestação de serviços céleres, assim como ser um grande instrumento para operacionalizarem o empreendedorismo que se precisa neste sector.

O chefe do Governo sustentou que, hoje, tudo que se faz ou se precisa, a tecnologia se faz presente e necessária, motivo para o lançamento do projecto Web Lab e a intenção da reforma do sistema de ensino nesta vertente.

“Cabo Verde só poderá competir com mão-de-obra altamente qualificada e com inovação”, considerou Ulisses Correia e Silva, acrescentando que a iniciativa Web Lab é criada para potenciar ainda mais o uso das tecnologias no processo de desenvolvimento, “casando muito bem” com aquilo que vão introduzir nas escolas, que versa a reforma do sistema educativo, incluindo o pré-escolar.

O Parque Tecnológico de Cabo Verde, financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), num horizonte de cinco anos, está avaliado em cerca de 30 milhões de dólares, com uma contrapartida do Governo em quatro milhões de dólares.

Em São Vicente, anunciou o primeiro-ministro, prevê-se para Outubro o lançamento das primeiras pedras para as construções do parque tecnológico e data center da ilha.

DR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos