Presidentes de Cabo Verde e da Guiné Equatorial abordam relações bilaterais e cooperação Sul-Sul

Cidade da Praia, 15 Abr (Inforpress) – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, recebeu hoje o seu homólogo da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, para um “tête a tête” sobre as relações entre os dois países, com o realce para a cooperação Sul-Sul.

“Trocamos impressões sobre o nosso relacionamento no quadro da CPLP, mas também algumas questões internacionais, nomeadamente no plano africano, e fizemos um acento muito forte no relacionamento bilateral”, informou Jorge Carlos Fonseca, em declarações à imprensa, após a reunião que demorou cerca de uma hora.

Neste sentido, o chefe de Estado cabo-verdiano adiantou que durante a visita de três dias de Teodoro Obiang, os dois países vão assinar “acordos importantes“, nomeadamente na área da promoção e protecção recíproca de investimentos, no combate a evasão fiscal e dupla tributação e isenção de vistos, entre outras.

Em relação à aposta da cooperação Sul-Sul (entre os países africanos), uma proposta do presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, revelou que enfatiza as áreas de informatização da administração, formação gestão de turismos, agricultura e farmácia como sectores de que podem ser potenciados entre os países.

Na sua intervenção, o presidente da Guiné Equatorial defendeu o incremento das relações as entre os países africanos porque, conforme disse, a instabilidade do continente africano deve-se a “pretensão dos antigos colonizadores que não querem a emergência da África”.

“Por isso, temos muitas dificuldades nas relações com os países coloniais que nos colocam freio ao desenvolvimento, para que África seja uma entidade com características e forças próprias”, notou Teodoro Obiang, apelando uma “política solidária” entre os países africanos.

Teodoro Obiang exortou, igualmente, a encontros periódicos da Comissão Mista entre os ministros de Negócios Estrangeiros para analisar os vários acordos de cooperação assinados em diferentes sectores.

Para concluir, fez um convite a seu homólogo Jorge Carlos Fonseca para uma visita oficial a Guiné Equatorial e prometeu realizar uma viagem privada a Cabo Verde.

“Nós os africanos queremos conhecer primeiro a Europa e a América, mas temos que nos conhecer mutuamente”, frisou.

Durante a permanência do estadista equato-guineense em Cabo Verde estão previstas assinaturas de acordos, nomeadamente de protecção e promoção recíproca de investimentos nos dois países, assim como acordo que se destina a prevenir a evasão fiscal e de supressão de vistos em passaportes diplomáticos e de serviço.

OM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos