Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidente mexicano propõe criar na América Latina “algo semelhante” à UE

Cidade do México, 24 Jul (Inforpress) – O Presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, propôs hoje a criação de “algo semelhante” à União Europeia (UE) na América Latina, durante a abertura da cimeira da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC).

“A proposta é, nem mais nem menos, que construir algo semelhante à União Europeia, mas mais adequado à nossa história, à nossa realidade e às nossas identidades”, disse o Presidente, dirigindo-se aos representantes de 33 países presentes na cimeira que decorre na Cidade do México.

A cimeira da CELAC, a que o México preside rotativamente, visa encontrar mecanismos para obter mais vacinas contra a covid-19 para a região e chegar a um acordo sobre uma posição latino-americana comum sobre esta matéria antes da próxima cimeira do G20.

Na sua intervenção, López Obrador aproveitou para pedir a substituição da Organização dos Estados Americanos (OEA), propondo um novo modelo de integração para a região.

“Nesse espírito, não deve ser descartada a substituição da OEA por um órgão verdadeiramente autónomo, que não seja lacaio de ninguém, mas mediador, a pedido e por aceitação das partes em conflito”, explicou o chefe de Estado mexicano.

López Obrador admitiu que esta é “uma questão complexa, que exige uma nova visão política e económica”, mas acrescentou que também “é um grande desafino para bons diplomatas e políticos, como os que felizmente existem em todos os países do continente”.

“O que aqui se propõe pode parecer uma utopia. Porém, devemos pensar que sem o horizonte de ideais não se pode chegar a nenhum lugar. Vamos manter vivo o sonho de Bolívar”, disse o Presidente.

No seu discurso, López Obrador criticou ainda Washington, por “nunca deixar de realizar operações, abertas ou encobertas, contra países independentes localizados a sul do Rio Grande” e denunciou a influência hegemónica da política externa dos Estados Unidos.

Apesar das suas críticas à política externa dos EUA, o Presidente do México pediu aos países latino-americanos “que deixem de lado o dilema de integrar os Estados Unidos ou de se opor defensivamente a eles”.

“Vamos iniciar um relacionamento no nosso continente sob a premissa de George Washington, para quem as nações não se devem aproveitar da desgraça de outros povos”, concluiu o Presidente mexicano.
Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos