Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidente do CERMI exorta Governo a reduzir burocracia em processos de ligação de electricidade

Cidade da Praia, 29 Mai (Inforpress) – O presidente do Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI) exortou hoje o Governo a trabalhar para reduzir a burocracia em processos da ligação de electricidade e na redução dos preços.

O apelo foi lançado por Luís Teixeira, hoje, na Cidade da Praia, momentos antes de presidir a abertura da palestra “Importância da eficiência e o aproveitamento de recursos endógenos energéticos na preservação e poupança de energia” alusiva ao Dia Internacional de Energia, celebrado hoje, sob o slogan “Djuntu nú ta popa más inerjia” (Juntos poupamos mais energia).

Segundo presidente do CERMI, um dos principais desafios do sistema energético e eléctrico é combater as perdas técnicas e comerciais sendo que o roubo de energia tem um peso de 27 por cento (%) a nível nacional sobretudo na ilha de Santiago que representa 60% da produção do país.

“Estamos a trabalhar na sensibilização junto das populações, que muitas das vezes optam pela ligação clandestina devido a burocracia no processo de ligação”, revelou Luís Teixeira que instou o Governo e as instituições a trabalharem no sentido de reduzir a burocracia no processo de ligação e na redução do preço final de electricidade.

Para o presidente, o sistema energético tem de ser mais rápido, imediato e a um preço mais acessível.

Por outro lado, assegurou que uma das metas do Governo é reduzir o preço final da energia em 25% até o final da legislatura.

“Para tal, o Governo está a trabalhar na implementação de medidas a nível da tarifa social, na migração do fuel leve para fuel pesado, do gasóleo para fuel leve e brevemente irá introduzir 10 megas de energia renovável na ilha de Santiago que irá permitir o aumento da taxa de penetração das energias renováveis”, realçou.

Por seu turno, o representante da direcção geral da energia, Rito Évora, adiantou que 90% dos agregados famílias em Cabo Verde têm acesso a electricidade e 71% tem acesso a energias limpas que, ao seu ver, está acima da média mundial em comparação com países da região.

Entretanto, assegurou que o Governo está a trabalhar para que em 2030 Cabo Verde tenha 100% de acesso a energia limpa.

“Não é possível desenvolver-se sem aumentar a intensidade energética já que o motor desse desenvolvimento exige o consumo de mais energia, mas não é um argumento para não se apostar na eficiência energética”, afirmou, sublinhando que a eficiência energética deve ser vista na abordagem multidimensional.

Segundo Rito Évora, todos esses aspectos e vertentes estão enquadrados no programa nacional para a sustentabilidade energética.

Segundo este responsável, cerca de 4 milhões de pessoas morrem todos os anos devido ao uso de energia poluente que afecta sobretudo a África subsariana e o sudoeste da Ásia.

Promovido pelo Centro para as Energias Renováveis e Eficiência Energética da CEDEAO (ECREEE) em parceria com o Centro de Energia Renovável e Manutenção Industrial (CERMI) e a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), o encontro contou com a participação de instituições, empresas privadas ligadas ao sector e estudantes.

AV/AA

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos