Presidente da República pede “articulação permanente” entre Câmara Municipal da Praia e Governo central

Cidade da Praia, 19 Mai (Inforpress) – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, considerou hoje ser fundamental a articulação permanente entre a Câmara Municipal da Praia e o Governo central, face à complexidade dos problemas económicos e sociais.

Durante a sessão solene do dia do Município da Praia, realizado no Auditório Nacional, Jorge Carlos Fonseca avisou que sem o estrito relacionamento que se deve pautar por um respeito mútuo e pela defesa intransigente do interesse dos munícipes, os problemas candentes desta cidade não serão enfrentados com sucesso.

“Entendo que sejam quais forem os modelos que vierem e ser definidos para a regionalização ou para o estatuto da Cidade de Praia de Santa Maria, é muito importante para todos, especialmente para os munícipes com maiores dificuldades económicas, que entendimentos abrangentes entre os poderes locais e centrais sejam construídos ou retomados”, alertou.

O Chefe de Estado manifestou a sua disponibilidade para facilitar entendimentos, afirmando mesmo ser mais do que evidente que o esfoço de concertação assume caracter de urgência, face à “situação gravíssima da pandemia da covid-19, com a capital no epicentro desta crise que afecta todo o país” tendo já provocado “um número significativo de mortos a lamentar e milhares de infecções”.

Disse que enquanto capital do país, que alberga os diferentes órgãos de soberania e das mais importantes empresas nacionais, o município da Praia assume obrigações que o distingue dos demais centros urbanos do País e com uma afinidade de desafios, por albergar mais de 30 por cento da população cabo-verdiana, para além da comunidade africana e estrangeira.

Reiterou que neste particular, a conjugação de esforços entre edilidade e o Governo se revela imprescindível para fazer face a desafios relacionados com os problemas candentes desta cidade agravados por três anos de seca e, consequentemente, o êxodo rural agravado com a inexistência de planos para responder à pressão demográfica, não obstante os visíveis progressos.

Referiu ainda que a capital centraliza boa parte dos problemas do país, pelo que considera ser determinante uma relação particular com os municípios mais próximos, asseverando mesmo que a solução do problema do município tem de ser encarada numa perspectiva descentralizada e, simultaneamente, articulada.

O Chefe de Estado reafirmou ser fundamental a promoção de um clima de diálogo permanente que permita identificar os problemas e os caminhos a serem trilhados e exortou os actores políticos a esforçarem-se no sentido da descompressão política, uma vez que já foram concluídos os confrontos políticos inerentes às eleições autárquicas e legislativas.   

Ressalvou que o dia 19 de Maio, dedicado ao Município da Praia, encerra um simbolismo emblemático, que deve ser celebrado e recordado solenemente, passadas mais de quatro décadas, por entender, que “muito mais que os acontecimento ocorridos em Maio de 1974, devem ser celebradas a essência, os gestos e as atitudes que estiveram na sua base”.

Considerou que, ainda que por vezes esses gestos tenham sido exacerbados, próprias de momentos de ruptura, de contextos em que por vezes se ultrapassam situações de limite, “os praienses deram asas à ânsia da independência, ao deixarem sair o grito que ao longo de séculos esteve preso nas gargantas.

SR/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos