Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidente da República defende forte engajamento de todos na eliminação de práticas de desperdício da água

Cidade da Praia, 22 Mai (Inforpress) – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, defendeu hoje a necessidade de se aprofundar o debate e estudos sobre a escassez de água e um forte engajamento de todos na eliminação do desperdício de água.

Numa mensagem alusiva ao Dia Internacional da Água sob o lema “valorizar a água”, que se celebra anualmente a 22 de Março, o Chefe do Estado destacou a importância deste bem precioso, que ainda não é permitido a milhões de pessoas terem acesso.

Conforme lembrou, a história do povo cabo-verdiano está fortemente ligada à problemática da água, tendo sublinhado que, não obstante os avanços alcançados na sua gestão, existem ainda muitos desafios a serem ultrapassados.

“Não será por acaso que durante três anos de seca severa, foi possível gerir a situação, complexa e dolorosa, com relativo sucesso. As consequências negativas desses anos de seca são um facto, mas muito menos graves do que as vividas no passado em situações similares”, afirmou.

Apontou, neste sentido, a necessidade de se aprofundar o debate, os estudos e a concepção de medidas que integrem, de forma definitiva, a escassez como elemento permanente das políticas de desenvolvimento,  lembrando que essa deve ser a meta de Cabo Verde no cumprimento do “objectivo 6” do Desenvolvimento Sustentável.

Para o Presidente da República, o fornecimento da água é um serviço público, pelo que a relação entre a entidade pública fornecedora e o cidadão não pode ser, simplesmente, a do comerciante e cliente. 

Por outro lado, acrescentou que do ponto de vista da salvaguarda do emprego, a água deve ser considerada um recurso estratégico suporte do sector económico, mormente a indústria, advogando uma tarifa especial para as empresas, particularmente, para as do sector da indústria transformadora e de produção de carnes de aves.

“Os problemas financeiros que possam resultar da aposta na eficácia social da distribuição da água poderão ser atenuados pela adopção de práticas de tarifas diferenciadas devendo cada família contribuir de acordo com as suas possibilidades conforme, aliás, se subentende com a introdução da tarifa social”, referiu, asseverando que o modelo tarifário ser concebido de maneira a estimular a criação de novos empregos encorajando, para o efeito, as empresas a operar em capacidade plena.

Considerou ainda a gestão adequada da água uma questão crucial que só será possível com o envolvimento do cidadão enquanto consumidor final na eliminação de práticas e comportamentos geradoras de desperdícios e deseconomias da água.

O Dia Mundial da Água, comemorado anualmente em 22 de Março, foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) através da resolução A/RES/47/193 de 21 de Fevereiro de 1992, determinando que o dia 22 de Março seria a data oficial para comemorar e realizar actividades de reflexão sobre o significado da água para a vida na Terra. 

Esta data foi criada com o objectivo de alertar a população internacional sobre a importância da preservação da água para a sobrevivência de todos os ecossistemas do planeta.

CM/HF

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos