Presidente da República considera que violência contra crianças é uma vergonha para sociedade cabo-verdiana (c/áudio)

Cidade das Pombas, Paul, 13 Jun (Inforpress) – O Presidente da República, José Maria Neves, considerou, este domingo, que a violência contra as crianças, nomeadamente a sexual, são flagelos que as crianças cabo-verdianas ainda padecem, o que constitui uma “vergonha” para a sociedade.

Segundo José Maria Neves, o trabalho infantil afigura-se como um dos eventos mais contraditórios e imorais da sociedade actual e, por isso, apelou à rejeição, de forma categórica, de todo o tipo de trabalho infantil, ou seja, toda a forma de trabalho exercida pelas crianças e adolescentes abaixo da idade mínima legal para o trabalho.

Embora reconheça que cada caso é um caso, José Maria Neves identificou alguns factores que contribuem para a ocorrência do trabalho infantil, com destaque para o desemprego, os baixos níveis de instrução e cultura dos pais, a desestruturação familiar, as condições de habitabilidade, a repetência e o abandono escolar, entre outros.

O chefe de Estado, que falava durante a sessão solene comemorativa do dia do município do Paul, que hoje se celebra, lembrou que “o trabalho das crianças é na escola” e apelou à assunção de todos os esforços para garantir que todas as crianças, em idade escolar, possam frequentar as escolas e ao alargamento da escolaridade mínima obrigatória.

Isso porque, no entender do Presidente da República, “a educação é uma das formas mais eficazes de combate ao trabalho infantil”, daí que, continuou o mais alto magistrado da Nação, é obrigação de todos “lutar em prol de uma sociedade inclusiva, que garanta a cada criança a possibilidade de ser criança, protegida e alvo de carinho, usufruindo da educação a que tem direito e desenvolvendo todas as suas capacidades”.

O chefe de Estado destacou as crianças com necessidades especiais que, em seu entender, devem merecer uma atenção e carinho especiais, inclusive, que sejam criadas as condições para que tenham acesso à educação, desde que a sua condição não seja impeditiva.

Essas crianças, continuou o Presidente da República, exigem cuidados e dedicação das mães, de forma exclusiva, o que as impede de trabalhar, pelo que, no entender de José Maria Neves, “todo o sistema de segurança social devia ter mais sensibilidade em relação ao valor das prestações atribuídas às crianças com necessidades especiais, tendo em conta que os custos são acrescidos, conjugado com o facto de, quase sempre, necessitarem de um cuidador.

A sessão solene comemorativa do dia do município do Paul e do orago local, Santo António das Pombas, realizou-se no domingo, mas o Presidente da República estará presente hoje, nas solenidades religiosas, missa e procissão, presididas pelo bispo da Diocese de Mindelo, Dom Ildo Fortes, no encerramento das comemorações dos 225 anos da criação da paróquia de Santo António das Pombas.

HF/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos