Presidente da ONAD-CV pede adopção de política antidopagem comum à Lusofonia

Cidade da Praia, 02 Mai (Inforpress) – O presidente da Organização Nacional Antidopagem (ONAD-CV), Emanuel Passos, defendeu hoje, na Cidade da Praia, a adopção de uma  política antidopagem comum à Lusofonia.

Para isso, o responsável apontou para a efectivação do objectivo de criação da  Rede Antidopagem   da Lusofonia, que está a ser trabalhada  em conjunto com as outras autoridades do países lusófonos, conforme indicou.

“Precisamos  criar uma política  antidopagem comum à lusofonia, de modo  a se ter  uma única voz”, acrescentou Emanuel Passos, em declarações aos jornalistas, após a  assinatura de um protocolo entre a ONAD-CV e a  Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP).

Segundo a mesma fonte, com a criação dessa rede, os países que a integrarão estarão   a trabalhar em conjunto, no sentido de desenvolver a luta contra a dopagem em todos os países da Lusofonia.

Em relação ao protocolo assinado com a AdoP idisse que o mesmo vai ajudar a entidade cabo-verdiana na implementação do sistema de gestão e informação antidopagem, e permitirá a realização de controlos dos atletas quando estão a treinar e competir em Cabo Verde ou em Portugal.

“Para além disso,  também vamos  desenvolver  acções  de formação e projectos de investigação científicos   para que as decisões possam ser tomadas com base em informações empíricas”, acrescentou.

 O director executivo da AdoP, António Júlio Nunes, por seu lado, considerou que com a criação da Rede Antidopagem da Lusofonia, cuja primeira reunião aconteceu em Novembro de 2021, e que já tem elaborado os estatutos e os regulamentos, vai facilitar na partilha de informações e conhecimentos entre os países da comunidade.

“Assim vamos proteger o desporto limpo, a verdade desportiva e a própria saúde dos atletas, que muitas vezes para chegarem ao alto rendimento vão para caminhos mais curtos, não pensando na sua saúde”, precisou o responsável.

O ministro do Desporto, Carlos Monteiro, que presidiu ao acto da assinatura do protocolo, considerou  que  tal representa “mais um passo” da ONAD-CV no seu percurso de estabelecer, de forma institucional, os caminhos na luta contra a dopagem no desporto cabo-verdiano.

O governante enalteceu, igualmente, o reconhecimento  que a organização  tem  tido  junto  da Agência  Mundial Antidopagem e por parte das  agência da sub-região africana.

A ONAD-CV é a autoridade responsável que aplica qualquer fase do procedimento de controlo de dopagem em Cabo Verde.

No ano passado, a organização foi aceite como membro observador da Convenção Antidopagem do Conselho da Europa.

OM/AA
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos