Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidente da Morabi considera “muito interessante” visita da líder do PAICV à sua organização

Cidade da Praia, 22 Mar (Inforpress) – A presidente da Morabi, Eveline Figueiredo, considerou hoje “muito interessante” a visita da líder do PAICV (oposição), Janira Hopffer Almada, à organização que dirige, já que permitiu à comitiva conhecer no terreno as actividades da organização.

Em declarações à imprensa, à margem da visita da presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde, Eveline Figueiredo disse que foi uma “conversa muito amena” em que também se falou do trabalho que a Associação Cabo-verdiana de Auto-promoção da Mulher (Morabi) vem fazendo em prol da camada feminina.

Instada sobre a intervenção da organização que dirige no quadro da mitigação dos efeitos do mau ano agrícola em 2017, disse que a Morabi tem dado créditos em todas as ilhas, sobretudo na área de agro-pecuária.

“A Morabi recebeu (do Governo) 13 mil contos”, revelou Eveline Figueiredo, acrescentando que a sua organização já disponibilizou aos credores mais sete mil contos do seu próprio dinheiro, estando, neste momento, “muitos pedidos pendentes” e “não há dinheiro para dar”.

Revelou que já pediu reforço da verba ao Governo para poder responder às solicitações por parte das pessoas para fazerem face ao mau ano agrícola de 2017.

Segundo Eveline Figueiredo, o Governo disponibilizou verbas de acordo com o volume de carteira de crédito da cada instituição.

A Organização das Mulheres de Cabo Verde (OMCV) na primeira fase, segundo a sua presidente Idalina Freire, foi contemplada com 8.500 contos e a “demanda é muito grande”.

Para a presidente da Morabi, cada dia deve ser reconhecido o trabalho que as Organizações Não-Governamentais fazem e seja levado em conta por todas as entidades.

“Se não tivermos os projectos financiados, não conseguiremos avançar”, precisou Eveline Figueiredo, lembrando que são as ONG que estão no terreno.

LC/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos