JPAI diz-se preocupada com superlotação da cadeia central de São Vicente e pede prioridade na reinserção social (c/áudio)

Mindelo, 19 Set (Inforpress)- O presidente da Juventude do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (JPAI) mostrou-se hoje preocupado com a superlotação da cadeia central de São Vicente e exortou o Governo a ter a reinserção social como “prioridade das prioridades”.

Fidel Cardoso de Pina, que falava à imprensa à saída do estabelecimento prisional, disse que o principal subsídio que irá levar para o debate parlamentar sobre a situação da Justiça em Cabo Verde, no mês de Outubro, é que não se pode normalizar a sobrelotação das cadeias.

“A semelhança de Santo Antão, aqui temos um primeiro aspecto que é a superlotação, o que não é bom, o que significa claramente que estamos a ter aumento de reclusos nas nossas cadeias”, frisou o jovem político, adiantando que na cadeia de São Vicente existe uma população prisional de 355, quando deveria ser cerca de 180.

Conforme Fidel Cardoso de Pina, o segundo aspecto que o preocupa tem a ver com o número de jovens que são reclusos. Citando dados fornecidos pela direcção da cadeia, o presidente do JPAI revelou que mais de 50 por cento (%) dos reclusos são jovens, o que, a seu ver, também é um aspecto que não se pode normalizar em Cabo Verde.

“E nós queremos chamar a atenção do senhor primeiro-ministro e da ministra de Justiça que algo certamente não está bem porque não é normal que venhamos aqui encontremos jovens a cumprir penas”, disse, acrescentando que doeu ter encontrado na cadeia ex-colegas de escolas e amigos com quem conviveu na sua infância.

A taxa de reincidência também é preocupante e que precisa ser analisada em São Vicente, porque, adiantou, conforme a direcção da cadeia grande parte dos reclusos são jovens que estão a entrar pela segunda, terceira ou quarta vez na cadeia.

“Parte desses reincidentes tem a ver com crimes relacionados com propriedade privada e, por outro lado, está relacionada com o consumo de drogas porque quando saem daqui há uma primeira exclusão por parte da família, dos vizinhos e dos amigos e da sua comunidade”, analisou, lembrando que “muitos não conseguem encontrar trabalho e reinserir normalmente na sociedade e, por terem o vício ligado ao consumo de droga, acabam por cometer a prática reiterada de crimes”.

Segundo Fidel Cardoso de Pina, a reinserção social precisa ser melhorada. Recordou que “a própria direção da cadeia de São Vicente disse que é preciso mais recursos humanos e técnicos porque são 355 reclusos para quatro técnicos”, o que torna “difícil fazer o trabalho de reinserção interna”.

“É preciso dotar mais meios, precisamos de mais técnicos. O senhor primeiro-ministro tem que assumir a reinserção social como umas prioridades das prioridades”, sentenciou, afirmando que em todas as cadeias que visitou, casos do Fogo, do Sal, da Ponta do Sol, na ilha de Santo Antão e de São Vicente, constatou que os reclusos estão a aumentar.

CD/JMV

Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos