Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidente da INOVISA desafia Cabo Verde a procurar consórcios internacionais para desenvolver projectos de inovação (c/áudio)

Cidade da Praia, 16 Jan (Inforpress) – Luís Mira da Silva, presidente do pólo de inovação no sector agrícola, alimentar e florestal (INOVISA), do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, defendeu hoje que Cabo Verde deve procurar consórcios internacionais para desenvolver projectos de inovação.

Luís Mira da Silva falava em entrevista aos jornalistas, à margem da apresentação do workshop sobre “O potencial de investigação, desenvolvimento e inovação em Cabo Verde”. Segundo o mesmo para implementar projectos de inovação nos sectores agrícola, agro-alimentar e florestal, hoje em dia, existem dadores privados, que cada vez mais complementam os financiamentos públicos.

Por isso defendeu a necessidade de Cabo Verde estabelecer “redes e contactos internacionais”, de estar nos fóruns internacionais e de ir “à procura de financiamento privado e público internacional para grandes consórcios e projectos que tenham uma vertente internacional, mas, com impactos no país”.

“Um exemplo que podemos dar é que em Portugal nós passámos por uma crise, durante três ou quatro anos, e essa crise teve uma fase positiva que nos obrigou a pensar onde é que poderíamos buscar o financiamento, porque não havia financiamento nacional. Então obrigou-nos a fazer mais redes internacionais à procura de financiamento internacional”, disse em jeito de exemplo, realçando também que se deve ir procurar financiamento privado.

Concretamente sobre o workshop “O potencial de investigação, desenvolvimento e inovação em Cabo Verde” o presidente da INOVISA explicou que este é um projecto que dura há dois anos, desenvolvido em conjunto com o Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA), com o Ministério da Agricultura e com a Escola de Ciências Agrárias (ECA) da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV).

O objectivo, ajuntou, foi fazer numa primeira fase um levantamento do que são as competências ligadas aos sectores agrícola, agro-alimentar e florestal, dos projectos que estão em curso ou que já acabaram recentemente em Cabo Verde. Isto para depois se pensar o que é que pode ser feito a nível da inovação.

Neste quadro, foi lançado o catálogo de competências e projectos Investigação, Desenvolvimento Inovação em Cabo Verde (Catálogo ID&I). O catálogo resultou de trabalho de levantamento de projectos nacionais e internacionais e ainda de competências de institutos de investigação, de universidades e de investigação e para perceber que tipo de serviço é que podem prestar a outras entidades.

“Cabo Verde é um país muito interessante, porque, talvez seja dos países africanos com maiores competências nesta área e com maior nível de educação a nível do ensino superior e onde se faz a investigação, existe um instituto nacional investigação no sector da agricultura. Ou seja, existem competências tanto a nível da academia como a nível da investigação”, destacou Luís Mira da Silva.

CD/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos