Presidente da FCF defende uma “autêntica reforma organizacional” no futebol cabo-verdiano visando a integração dos clubes na CAF

Cidade da Praia, 21 Jan (Inforpress) – O presidente da FCF disse que o futebol cabo-verdiano terá de passar por uma “autêntica reforma organizacional”, essencialmente a nível dos clubes, visando a sua plena integração, nas competições internacionais, sobretudo da Confederação Africana de Futebol.

Mário Semedo manifestou esta preocupação durante a cerimónia de apresentação do Sistema de Licenciamento de Clube de Confederação Africana de Futebol (CAF) e FIFA, que decorre na Cidade da Praia, onde considerou que esta revolução vai contribuir para melhorar o desenvolvimento o futebol cabo-verdiano.

Ao revelar estas preocupações, o presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol considerou exagerado um país da dimensão de Cabo Verde, com cerca de 550 mil habitantes, contar com mais de 100 clubes de futebol federados.

Para demonstrar o quão exagerado é o número de equipas federados no futebol cabo-verdiano, comparou ao Senegal, um estado de dimensão muito superior a Cabo Verde, mas que conta apenas com 14 equipas federadas, o que a seu ver, aumenta o nível competitivo dos clubes.

“Há que reprogramar todo o sistema desportivo em Cabo Verde, sobretudo a nível dos clubes”, alertou Mário Semedo, convicto que com uma aposta nesta dimensão o futebol cabo-verdiano poderá tirar melhor proveito, não só em termos competitivo, mas também a nível de absorver financiamento que a FIFA coloca à disposição dos clubes.
O líder federativo considerou de “extrema importância” esta reestruturação do futebol cabo-verdiano, “a todos os níveis”, tendo sublinhado que a obrigatoriedade imposta pela FIFA, dos clubes se licenciarem junto desta instância que superintende o futebol mundial, não só irá desenvolver a prática do futebol no país, como servirá de incentivo para as provas internacionais.

Para isto, sugeriu uma reflexão/debate interno a nível dos clubes, de modo que Cabo Verde possa, efectivamente, ganhar um novo rumo de desenvolvimento, que passará igualmente pela melhoria dos espaços desportivos.

Considerou “determinante” esta restruturação, para que o país passe a marcar a sua presença, de forma sistemática, nas diversas provas internacionais, realizadas tanto pela FIFA como pela CAF.

A apresentação do Sistema de Licenciamento de Clube de CAF&FIFA está a ser feita pelo manager licenciamento dos clubes da CAF, o moçambicano Muhammad F. Sidat, que enalteceu a importância do futebol cabo-verdiano e dos clubes filiados na FCF aderirem a rede.

Explicou que esta inserção vai ser gradual, num espaço de quatro anos, e que a FIFA teve em consideração a realidade de cada país, alegando que as exigências são aplicadas consoante o poder financeiro de cada federação e associados.

Opinião corroborada pelo manager licenciamento Clube de Cabo Verde, Fernando Firmino, que incentiva os clubes a aderirem ao Sistema de Licenciamento para “não perderem o barco”.

SR/CP
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos