Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidente da CNE integra missão da ECONEC a Guiné-Bissau para levantamento das necessidades eleitorais de Novembro

Cidade da Praia, 03 Ago (Inforpress) – A presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE) integra a delegação da Rede das Comissões Eleitorais da CEDEAO (ECONEC) que vai fazer o levantamento das necessidades paras as eleições legislativas na Guiné-Bissau aprazadas para 18 de Novembro.

Maria do Rosário Gonçalves, juntamente com outros membros da Rede das Comissões Eleitorais da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), entre eles o presidente da ECONEC, Mahmood Yakubu, o presidente da CNE de Burkina Faso, Ahmed Barry Newton, e representantes da Rede das Mulheres para a Paz e Segurança da Guiné Bissau, que terminam hoje a missão que estava em curso desde o dia 01 de Agosto.

De acordo com informações facultadas à Inforpress pela Comissão da CEDEAO, a menos de quatro meses das eleições, a inscrição dos eleitores ainda não começou, devido a “desentendimentos entre os principais actores políticos, e a falta de resposta positiva de países e parceiros de desenvolvimento abordados pelo Governo de Bissau para esse fim”.

Entretanto, a pedido do Governo da Guiné-Bissau e com a facilitação pela ECONEC, o Governo da Nigéria está a proporcionar “um apoio crucial” à logística e à inscrição de eleitores para facilitar a realização das eleições legislativas de Novembro, que incluem veículos e motocicletas.

Por essas razões, a delegação da ECONEC tem mantido encontros com diferentes instituições e personalidades da Guiné-Bissau, incluindo o primeiro-ministro, Aristides Gomes, o presidente da Assembleia Nacional, Cipriano Cassamá, ministros, representantes da sociedade civil e dos partidos políticos.

A delegação da ECONEC pôde reunir-se também com o Gabinete do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em Bissau, o presidente do Supremo Tribunal da Justiça, Paulo Sanhá, e o ministro do Interior Mutaro Djalo.

DR/FP

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos