Presidente da CNE diz que novas instalações impõem nova responsabilidade e permitirão albergar serviços

Cidade da Praia, 27 Mai (Inforpress) – A presidente da CNE congratulou-se hoje com a inauguração do novo edifício da instituição, afirmando que o mesmo impõe uma nova responsabilidade aos seus servidores e permitirá albergar todos os serviços da comissão.

A presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Maria do Rosário Gonçalves, fez estas declarações à imprensa, à margem da cerimónia de inauguração, após obras de remodelação, das novas instalações da CNE, situadas no bairro da Prainha, na Cidade da Praia.

Segundo disse, o orçamento inicial para a remodelação do edifício, que foi feito para modernizar e adaptar o referido espaço às necessidades da CNE, foi custeado pela própria instituição, tendo adiantado que o valor inicial foi de 23 mil contos.

“A CNE renasce com alma nova. Este edifício novo que temos hoje impõe uma nova responsabilidade aos servidores da CNE, impõe a consciência dos seus deveres para com os cabo-verdianos”, declarou.

Maria do Rosário Gonçalves afirmou que o sentimento é de dever cumprido e satisfação, uma vez que lembrou, depois de 27 anos de existência, a CNE tem, pela primeira vez, o seu próprio edifício para a instalação dos seus serviços.

Afiançou ainda que o novo espaço está em condições de albergar a CNE permitindo assim a mesma de efectivar todos os seus serviços, instalando todos os seus quadros que estão definidos mas que não foi conseguido antes por causa da insuficiência do espaço.

A cerimonia de inauguração foi marcada pelo acto de homenagem ao vice-presidente da CNE, Amadeu Barbosa, falecido vítima da covid-19, tendo a presidente da CNE salientado o contributo do malogrado na consolidação da missão da instituição.

“Amadeu Barbosa serviu a CNE de 2015 a 2021, foi um membro comprometido, leal a aquilo que são os valores e os deveres da CNE, esteve sempre a altura de responder às aspirações da CNE e um grande profissional, isento e imparcial”, declarou, indicando que a sala magna da CNE recebeu o nome de Amadeu Barbosa.

Por seu turno, a ministra da Justiça, Joana Rosa, na sua intervenção, destacou o papel da CNE, enquanto entidade independente eleita pelo parlamento e do contributo que a mesma tem dado na consolidação da democracia, reconhecendo no entanto que há ainda desafios a serem ultrapassados.

Apontou neste sentido, a proposta de alteração do Código Eleitoral como um dos desafios, realçando que acredita que estão reunidas as condições para a realização da alteração do referido código visando reforçar os poderes da CNE.

“Acho que temos condições de fazer reformas a esse nível para que possamos reforçar os poderes da CNE e garantir que as eleições continuem a ser livres transparentes e organizadas. Vamos continuar a colaborar e a cooperar, a CNE hoje é uma instituição credível e esta inauguração hoje é prova de que nós, com poucos recursos, podemos fazer mais e melhor”, afirmou.

Por seu lado, o vice-presidente da Assembleia Nacional, Armindo da Luz, ao presidir a cerimonia de inauguração, afirmou que as novas instalações da CNE permitirão garantir melhor funcionalidade, melhores condições de trabalho e perspectivas de melhores resultados e cumprimento das suas funções.

A anterior sede, referiu, serviu bem nos primeiros tempos de existência da instituição, mas que com o evoluir da situação, o desenvolvimento e a complexidade da instituição, acrescentou, a mesma tornou-se inadequada, pelo que a CNE conseguiu mobilizar esforços para que a instalação no novo edifício fosse realidade.

CM/HF

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos