Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

CCS acusa TAP de estar a explorar os cabo-verdianos e pede ao Governo que agilize a operacionalização dos TACV (c/vídeo)

Santa Maria, 03 Set (Inforpress) – O presidente da Câmara de Comércio de Sotavento (CCS), Jorge Spencer Lima, acusou hoje a companhia aérea portuguesa (TAP) de estar a explorar os cabo-verdianos e pediu ao Governo que agilize a operacionalização dos TACV para reverter esse quadro.

Jorge Spencer Lima falava à Inforpress, à margem do Fórum Global sobre Investimento Turístico em África, promovido pela Organização Mundial do Turismo, em parceria com o executivo cabo-verdiano, onde a questão da conectividade foi muito realçada.

O representante do sector privado salientou que a TAP está a aproveitar do facto de Cabo Verde estar, neste momento, sem uma companhia de bandeira para de “forma desavergonhada” explorar os viajantes cabo-verdianos

“Nós estamos, neste momento, com uma empresa estrangeira, a TAP, a praticar 1.700 a 1.800 euros para um voo de um percurso de três horas e meia. Isto é exploração dos cabo-verdianos. E isto está a acontecer porque a nossa companhia de bandeira está no chão e ninguém consegue levantá-la”, disse.

Jorge Spencer Lima pede, por isso, ao Governo que tome as medidas necessárias para agilizar a operacionalização dos TACV, para que o país possa ter a oportunidade de dar a volta a esta situação.

“Eu estou confiante na retoma dos TACV. O problema é que estamos a andar lentos demais. Vamos ter que ter a nossa companhia, ainda que seja privatizada, mas vai continuar a ser nossa, porque é uma necessidade para um país arquipelágico com uma diáspora enorme. Portanto, temos de resolver essa questão da conectividade”, realçou, salientando que o tempo está curto, pelo que é necessário ir mais depressa.

Sobre o fórum, o representante do sector privado da região de Sotavento declarou-se satisfeito com os resultados, indicando que está a corresponder perfeitamente às expectativas iniciais, já que o fórum mostrou que Cabo Verde está à altura de organizar encontros regionais.

“Hoje estamos a falar do turismo, mas amanhã falaremos de outra coisa, sobretudo neste momento de pandemia que nós estamos a achar que é fim da pandemia e início de uma nova época”, disse.

O II Fórum Global de Investimento Turístico em África foi promovido pela Organização Mundial do Turismo (OMT), que quer transformar o continente africano num destino atrativo de investimento.

O evento reuniu, na ilha do Sal, mais de duas centenas de participantes, entre ministros do turismo do continente africano, observadores, corpo diplomático, investidores, representantes de instituições financeiras internacionais, altos dirigentes e especialistas de sectores público e privado e demais stakeholders do turismo.

MJB/JMV
Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos