Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidente da BVC diz que vale a pena se investir em Cabo Verde

Cidade da Praia, 02 Dez (Inforpress) – O presidente da Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVC), Manuel Lima, disse hoje que vale a pena se investir em Cabo Verde, entretanto chamou atenção para aspectos que devem ser melhorados neste sentido.

Manuel Lima falava à Inforpress, à margem de um workshop promovido pelo Governo hoje, na cidade da Praia, para capacitar participantes com novos instrumentos e mecanismos de Financiamento para o Desenvolvimento (FFD).

“Vale a pena”, respondeu assim o presidente da BVC, quando questionado se compensa investir em Cabo Verde.

Manuel Lima afirmou ainda que, durante o referido workshop, foram citados vários casos de vários outros países com realidades semelhantes, próximas de Cabo Verde, que conseguiram financiamentos.

Este responsável é de opinião que há janelas e oportunidades que, se bem trabalhadas, com estratégia, é possível também aceder a outras fontes de financiamento.

No fundo, disse, há todo um conjunto de instrumentos financeiros que demonstraram “claramente” que há condições para avançar. A questão, segundo defendeu, é o “next step”, ou seja, no que se pode fazer para que, de facto, se consiga obter esse financiamento.

Para Manuel Lima, uma primeira questão que se coloca sobre a mesa é ter o domínio desses instrumentos. Isto é, explicou, ter um corpo de rede especialistas, com conhecimento que, de uma forma, conhecem esses instrumentos onde poderão, de alguma forma, passar esse conhecimento.

Esta fonte fala em um segundo aspecto, relacionado com a estratégia de aceder aos mecanismos. Porque, argumentou, não basta só dizer que existe Cabo Verde, mas sim é preciso ter uma boa narrativa para poder também convencer os investidores a investir aqui em Cabo Verde.

Um terceiro aspecto tem a ver com a própria estratégia de comunicação. Uma comunicação que, segundo Manuel Lima, tem que ser feita na perspectiva de não só trazê-los para Cabo Verde, mas também de apresenta-los projectos que são credíveis, fiáveis.

Ainda no leque dos aspectos que devem ser melhorados, o presidente da BVC falou na questão de monitoramento e acompanhamento. No seu ponto de vista, não basta só criar uma narrativa, ter uma estratégia de comunicação e saber como convencer, mas sim também monitorar esses projectos até o fim.

GSF/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos