Presidente da Assembleia Nacional congratula-se  com o “grandioso trabalho” que as Aldeias SOS de Cabo Verde estão a realizar

Cidade da Praia, 30  Jun. (Inforpress) – O presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, destacou hoje o “grandioso trabalho” que as Aldeias SOS de Cabo Verde estão a realizar em prol das crianças mais necessitadas.

O chefe da casa parlamentar cabo-verdiana fez estas declarações na abertura da “Gala Padrinhos SOS, para os quais foram convidados os amigos, parceiros e padrinhos e madrinhas SOS, realizada no auditório da Assembleia Nacional.

Segundo Jorge Santos, o trabalho das Aldeias SOS de Cabo Verde tem sido uma “verdadeira acção de inclusão social”.

Na sua perspectiva, aquela instituição  tem feito a pedagogia no sentido de que é necessário os cabo-verdianos “serem solidários e participar em acções de inclusão social daqueles que mais necessitam”.

“Enquanto parlamento, estamos do lado das Aldeias SOS com vista a ajudar a criar um ambiente institucional, que seja positivo e inclusivo”, indicou Jorge Santos, para quem é já hora de o país dispor de uma legislação com vista a criar condições  para as crianças com necessidades especiais, nomeadamente ao nível da educação.

Por sua vez, em declarações à Inforpress, o director nacional das Aldeias SOS, Dionísio Simões Pereira, explicou que a referida gala é evento que se realiza uma vez por ano, com o propósito de juntar a família SOS.

No dizer de Dionísio Simões Pereira, esta gala serve não só para uma “partilha de sentimentos profundos de afecto”, mas também uma oportunidade para a “prestação de contas com vista a informar sobre os trabalhos realizados nos últimos 12 meses e agradecer aos que se têm juntado à família SOS para o atendimento das necessidades das crianças e famílias em situação de vulnerabilidade”.

Instado sobre a adesão dos cabo-verdianos no sentido de apadrinharem crianças, revelou que as respostas lhe têm surpreendido.

“Em  2010, lançamos  um desafio a nós mesmo de que precisaríamos de ter mais padrinhos cabo-verdianos do que estrangeiros e hoje temos 2000 cidadãos nacionais que contribuem, numa base regular, para realizarmos o nosso trabalho”, precisou  Simões Pereira, acrescentando que hoje há cada vez mais pessoas a aderirem à causa SOS.

A gala contou com a actuação dos artistas Cremilda Medina, Zé Rui, Djam Neguim e dos grupos SOS Stars, Gota de D´arte, Mon na Roda e Dança Arte.

LC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos