Presidente da AJOC a favor da aposentação mais cedo dos jornalistas

Cidade da Praia, 04 Dez (Inforpress) – O presidente da Associação Sindical dos Jornalistas de Cabo Verde (AJOC), Carlos Santos, defendeu hoje que os profissionais da comunicação social deviam reformar-se mais cedo, tendo em conta a natureza da sua actividade profissional.

“Acho que os jornalistas devem reunir-se e identificar este grupo [de jornalistas interessados e com mais de 30 anos de carreira] e fazer um mapeamento da situação”, indicou Carlos Santos, lembrando que há profissionais com 30 ou mais anos de carreiras, mas que ainda não podem aposentar-se por não terem atingido o limite de idade.

“Desafio os jornalistas, que já reúnem essas condições, a criarem um grupo de trabalho neste sentido, para, depois, a AJOC dar forma, estruturar esta ideia e apresentar uma proposta muito concreta ao Governo”,  precisou Santos, lembrando que em algumas outras paragens os jornalistas se aposentam mais cedo, em relação às outras classes profissionais.

Na perspectiva do líder da AJOC, os jornalistas, ao contrário dos professores, têm várias entidades patronais, pelo que  foi “mais fácil” conseguirem essa luta.

Reconheceu que, se nos órgãos públicos há possibilidades de se avançar com a proposta da aposentação mais cedo, já nos privados será “muito mais difícil”, pois a empresa terá que continuar a descontar para a previdência social.

Neste momento, sublinhou Carlos Santos, a solução que lhe parece mais viável é discutir acordos colectivos de trabalho com a  RTC e a Inforpress, que são do Estado.

Lembrou que tem havido reformas antecipadas, tanto na RTC, como na Inforpress, mas que  agora os jornalistas querem ir mais longe, o que, no seu dizer, é “normal”.

LC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos