Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidente da ACAAM avalia negativamente a situação marítima inter-ilhas e culpabiliza os sucessivos governos

Cidade da Praia, 01 Jul (Inforpress) –  O presidente da Associação Cabo-verdiana dos Armadores da Marinha Mercante, João Guilherme, disse hoje que a situação dos transportes marítimos inter-ilhas “é negativa”, culpabilizando os sucessivos governos.

João Guilherme fez esta observação, durante a audição da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre Transportes Marítimos Inter-Ilhas.

Conforme avançou, a culpa da “situação negativa” dos transportes marítimos inter-ilhas deve-se muito aos sucessivos governos, por políticas que não beneficiaram o sector.

Apontou também parte da culpa aos armadores marítimos nacionais, mas deixou claro que a situação actual não vai nos melhores dias.

“Houve várias vezes tentativa junto dos governos para entendermos e tentar melhorar esta situação, mas sem sucesso”, esclareceu.

Justificou, afirmando que existe um aumento taxas tarifárias, a própria Enapor, “em 2014 actualizou seu caderno tarifário, o combustível aumentou”, portanto, segundo ele, “uma serie de questões que só agravaram as despesas dos armadores”.

Em sentido contrário, ajuntou, nunca foi permitido aos armadores aumentarem o preço do frete, que se manteve desde 2006, após esse período muitas despesas aumentaram.

Nos últimos anos, com as taxas que foram criadas, temos motivos mais do que suficiente para uma análise das responsabilidades dos governos neste sentido.

Além do presidente da ACAMM, a CPI ouviu também o júri da 2ª fase do concurso para a concessão dos transportes marítimos – MEM, o representante da Polaris, SA, e o armador representante da Verde Mar.

HR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos