Presidenciais´2021: “Quem vai se sentir numa ditadura são aqueles que vivem a abusar do povo” – Gilson Alves

Mindelo, 05 Out (Inforpress) – O candidato às eleições presidenciais Gilson Alves assegurou que as ideias defendidas pela sua pessoa “não são de um ditador sanguinário”, mas quem vai se sentir numa ditadura são “aqueles que vivem a abusar do povo”.

Dando algumas pinceladas sobre as suas convicções, Gilson Alves começou por explicar que num regime presidencialista, o Presidente da República seria o chefe do Governo, o primeiro executivo do país, responsável pela criação e aplicação de um programa governativo.

“Essencialmente, iria fazer o que o primeiro-ministro faz e ainda seria comandante supremo das Forças Armadas”, esclareceu o candidato às eleições de 17 de Outubro, admitindo ser uma “grande responsabilidade”, que desemboca num “grande poder”.

Por isso, ajuntou, o seu lema é “Poder absoluto”, “não para ser um ditador e sanguinário”, mas “um Presidente investido de poderes”, tal como nos Estados Unidos da América, China, Brasil, Angola e outros países.

“As pessoas não estão muito acostumadas, não a temos utilizado nos discursos políticos e é uma área que não tem sido explorada, mas também pudera, porque temos este mal crónico de dois partidos, que se transformou num cancro”, criticou.

Gilson Alves admitiu, por outro lado, que quem vai se sentir numa ditadura, quando estiver no poder, “são aqueles que vivem a abusar e apanhar aquilo que é do povo e a dividi-lo por alguns poucos”.

“Vão sentir numa ditadura, porque vai doer, vão perder tudo que têm neste momento e sem nenhuma dúvida. Se calhar vão ter que sair deste país fugidos em barcos, porque não dá”, sentenciou.

Gilson Alves estará hoje nas zonas de Madeiralzinho, Chã de Alecrim e Centro da cidade do Mindelo, em São Vicente, e na quarta-feira, 06, viaja de barco para São Nicolau.

Às eleições presidenciais do dia 17 de Outubro nos dois círculos eleitorais, nacional e estrangeiro, concorrem sete candidatos: Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

As últimas eleições presidenciais em Cabo Verde ocorreram no dia 02 de Outubro de 2016, com três candidatos (Albertino Graça, Jorge Carlos Fonseca e Joaquim Monteiro). Venceu Jorge Carlos Fonseca na primeira volta para um segundo mandato, com 74% dos votos.

LN/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos