Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidenciais’2021: Joaquim Jaime Monteiro quer que “os políticos sejam servidores ao invés de mamadores”

Mindelo, 01 Out (Inforpress) – O candidato a Presidente da República Joaquim Jaime Monteiro defendeu hoje, na zona piscatória de São Pedro, que os políticos de Cabo Verde têm que ser transformados em “verdadeiros servidores e não em mamadores do povo”.

Joaquim Jaime Monteiro fez esta declaração ao abordar uma eleitora e moradora de São Pedro que se abastecia de água num fontanário da zona e queixava-se da “injustiça por não ter água canalizada em casa contrariamente a outros moradores, da falta de trabalho e de ter de lutar para matricular duas filhas na universidade, para não ficarem no desemprego”.

Segundo Joaquim Jaime Monteiro a história dessa mulher é o espelho do que passam muitos outros cabo-verdianos, por causa da política que está a ser feita em Cabo Verde que é uma “política de encher o bolso”.

“A política tem que ser feita com sentido de Estado porque as pessoas que chamamos de políticos não são nada mais do que servidores do povo. Desde Ulisses, aqueles que estão no poder até aquele que está mais a baixo”, explicou, reforçando que “todos os políticos têm de ser transformados em servidores do povo de Cabo Verde e não em mamadores do povo”.

Neste sentido, o candidato aproveitou para criticar o esbanjamento do dinheiro nesta campanha eleitoral, questionando onde é que os seus adversários vão buscar o dinheiro.

“Qual é a mina que têm, o que é que herdaram do pai e da mãe. O dinheiro é deles ou de nós todos. Estão a nadar no dinheiro e a construir palácios em Cabo Verde, tudo aquilo é roubado no povo”, sustentou, acrescentando que é preciso criar uma nova mentalidade para o futuro dos meninos de Cabo Verde transformando-o num País com dignidade.

Ainda em São Pedro Joaquim Jaime Monteiro criticou a delapidação dos mares.

“O Mar já não está com nada porque tudo foi vendido e roubado. Dizem que são as frotas internacionais de pesca, mas quem é o responsável pela delapidação do nosso mar são as pessoas que têm governado Cabo Verde”.

Neste particular, apresentou a proposta de transformar essa zona piscatória numa pequena cidade com um presidente de câmara independente do Mindelo. Também sugeriu a criação de um cais de pesca e, a partir dessa infra-estrutura, catapultar o desenvolvimento do País com uma frota pesqueira capaz de absorver mão de obra noutras zonas ou no estrangeiro.

Nas presidenciais do dia 17 de Outubro concorrem sete candidatos – Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

As últimas eleições presidenciais em Cabo Verde ocorreram no dia 02 de Outubro de 2016, com três candidatos (Albertino Graça, Jorge Carlos Fonseca e Joaquim Monteiro). Venceu Jorge Carlos Fonseca à primeira volta com 74% dos votos, para um segundo mandato.

CD/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos