Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidenciais’2021: Hélio Sanches chega à ilha do Fogo com mensagem de “esperança e confiança”

São Filipe, ilha do Fogo. 11 Out (Inforpress) – O candidato às eleições presidenciais de 17 de Outubro Hélio Sanches chegou esta manhã à ilha do Fogo, com uma mensagem de “esperança, de solidariedade e de confiança” para um futuro melhor.

“Trouxe uma mensagem de esperança e confiança de que a partir do dia 17 de Outubro, quando eu for eleito Presidente da República, podem contar comigo para ajudar toda a população desta ilha que foi afectada pela covid-19, sobretudo a juventude que está desempregada”, apontou.

O candidato, que se define como “político da nova geração”, levou também uma mensagem de conforto e de solidariedade aos agricultores que se encontram em situação difícil devido à seca.

“Serei um Presidente solidário e disponível para ajudá-los a resolver os seus problemas, porque Fogo é uma ilha agrícola e que neste momento está a passar por dificuldades”, referiu o candidato, que deixou a garantia de que será um presidente de todos os cabo-verdianos e que irá unir o país, independentemente da cor política.

Hélio Sanches disse estar consciente da partidarização existente na ilha do Fogo e da divisão entre o MpD e o PAICV, mas sublinhou que o seu projecto é unir todos os cabo-verdianos, ser olhar para a cor partidária.

“Sou um candidato independente, que tem na sua equipa pessoas de vários quadrantes da política, porque queremos um Presidente para todos os cabo-verdianos. A mensagem que trouxe para a ilha do Fogo é de união, solidariedade, para confiarem em Hélio Sanches, que será um Chefe de Estado de toda a população”, referiu.

Para tal, assume-se com candidato da “nova normalidade, do diálogo e da união” entre os cabo-verdianos, enquanto, vincou, “José Maria Neves e Carlos Veiga continuam com as mesmas ideias e propostas”, que acabam por “dividir o país”.

Por outro lado, acusou ainda as duas candidaturas de esbanjarem dinheiro numa altura em que muitos cabo-verdianos estão em dificuldades e a sofrer por causa da pandemia da covid-19.

“Isso não é concebível num país como Cabo Verde, que está a passar por momentos difíceis, enquanto esses dois candidatos continuam a gastar dinheiro todos os dias, à vista de todos. No meu ponto de vista, eles não têm condições para serem Presidente da República e os cabo-verdianos não devem elegê-los com Chefe de Estado”, precisou.

Nesta terça-feira, 12, a candidatura de “novos tempos, novos líderes” irá deslocar-se à ilha Brava para contactar a população local.

Nas presidenciais de 17 de Outubro, concorrem outros seis candidatos – Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

As últimas eleições presidenciais em Cabo Verde ocorreram no dia 02 de Outubro de 2016, com três candidatos (Albertino Graça, Jorge Carlos Fonseca e Joaquim Monteiro), venceu Jorge Carlos Fonseca na primeira volta com 74% dos votos, para um segundo mandato.

AV/JMV
Inforpress

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos