Presidenciais´2021: Gilson Alves defende mudança nos princípios constitucionais para Presidente “pesar mais” na balança de justiça

Mindelo, 30 Set (Inforpress) – O candidato às eleições presidenciais de 17 de Outubro Gilson Alves admitiu hoje que os princípios constitucionais devem ser mudados no País para o Presidente da República “pesar mais” na balança de justiça. 

Gilson Alves fez esta consideração durante o debate realizado na noite desta quarta-feira pela Rádio e Televisão públicas, na qual participaram mais cinco dos sete candidatos às eleições presidenciais. 

“Eu digo pesar mesmo na balança da justiça. Defendo um regime presidencialista forte, um regime autoritário, e para mim os sintomas que temos hoje é de um sistema de justiça que está totalmente desgovernado”, sentenciou. 

Para o candidato, o Conselho Superior de Magistratura que é “basicamente um Governo dos juízes, em que eles se autogovernam com o sistema administrativo e também de finanças” pode estar “sujeito a vícios”.   

“E na minha opinião, o Presidente da República tem de nomear os juízes do Supremo Tribunal de Justiça, como acontece nos Estados Unidos da América. Politicamente o Presidente não pesa, hoje em dia na justiça, e ele tem de pesar”. 

Defendeu que a “confiança” só vai ser atingida “se o juiz máximo que vai corrigir os vícios da justiça for o Presidente”, uma vez, que, neste momento, o chefe de Estado “só escuta e diz concordar com esta ou outra condenação, até de diplomatas”. 

“São características de um Presidente fraco, frágil, que foi escrito, definido e capturado por alguns candidatos que estão aqui hoje, para estarmos num sistema vicioso, bi-partidário, com duas dinastias e vamos continuar isto para sempre”.

Gilson Alves acredita ainda que o Tribunal Constitucional e o Supremo Tribunal de Justiça “devem ser fundidos”, para garantir “eficácia e eficiência”. 

O candidato arranca a campanha hoje em São Vicente, mais concretamente na zona de Chã de Faneco, Ribeirinha, onde existe o bairro denominado “Morro Branco”, que disse ser um “bairro esquecido e um dos mais vulneráveis da ilha”, e que se assemelha a “outros lugares vulneráveis” por onde quer começar a campanha nas outras ilhas. 

Depois de São Vicente, ilha onde cresceu, Gilson Alves segue nesta sexta-feira para a sua terra natal, Santo Antão, onde permanecerá por três dias, com actividades nos três concelhos.  

Nas presidenciais do dia 17 de Outubro, nos dois círculos eleitorais, nacional e estrangeiro, concorrem sete candidatos: Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro. 

As últimas eleições presidenciais em Cabo Verde ocorreram no dia 02 de Outubro de 2016, com três candidatos (Albertino Graça, Jorge Carlos Fonseca e Joaquim Monteiro). Venceu Jorge Carlos Fonseca à primeira volta, para um segundo mandato, com 74% dos votos. 

LN/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos