Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidenciais’2021: Fernando Delgado pede a confiança do eleitorado para lutar pela estabilidade nacional

Cidade da Praia, 11 Out (Inforpress) – O candidato a Presidente da República Fernando Delgado pediu domingo, 10, a confiança do eleitorado e se for eleito prometeu trabalhar juntos com outros órgãos de soberania para a estabilidade nacional.

Delgado falava no segundo e último debate, na Cidade da Praia, promovido pela rádio e televisão públicas.
“Fiz uma campanha a base dos meus esforços pessoais e foi estranho ver candidatos atrelados a partidos políticos, pelo que peço aos cabo-verdianos que depositem a confiança em mim”, sintetizou no apelo ao voto.

Disse que nesses 11 dias de campanha eleitoral se apercebeu de que os cabo-verdianos estão a necessitar de uma voz como a dele, que “já “faz eco” a nível internacional, por não fazer promessas e estar apenas focado naquilo que os cabo-verdianos necessitam em áreas como segurança, justiça, educação e desemprego da juventude.

E foi precisamente no debate que Delgado introduziu a figura de uma “caixa de sugestões” que vai disponibilizar aos cabo-verdianos, se for eleito, em que cada um expõe a sua opinião sobre matérias de interesse pois, explicou, uma ideia pode salvar o mundo.

É que, continuou, os cabo-verdianos, actualmente, se sentem “afastados da política e têm a sensação de que são necessários apenas no momento do voto”.

“Se os cerca de 500 mil habitantes derem uma ideia exclusiva na caixa, que seria filtrado, pouco a pouco chegava-se àquilo que é necessário para a resolução dos seus problemas”, indicou.

Fernando Delgado, se for eleito, sugeriu a revisão da Constituição em matéria de participação dos emigrantes na vida política cabo-verdiana, “pois devem sentir-se úteis ao País”, e terem um papel “mais activo” na política nacional pois, referiu, deles “não se pode esperar apenas as remessas”.

Sobre a política externa e a participação do País em organizações internacionais, o candidato disse que o País deve manter-se na Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) de forma “sólida e firme”, mas que Cabo Verde deve ter um estatuto diferenciado devido à sua condição de País arquipélago.

Ademais, considerou que o acordo de pesca entre Cabo Verde e a União Europeia precisa de ser revisto e que a Guiné-Equatorial deve respeitar as regras e normas da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) no que respeita à garantia dos direitos humanos e outros, e que se tal não ocorrer deverá ser colocada “fora da organização”.

Hoje, o candidato tem acções de campanha previstas nos concelhos do interior de Santiago.

Às eleições presidenciais do de 17 de Outubro nos dois círculos eleitorais, nacional e estrangeiro, concorrem sete candidatos: Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

As últimas eleições presidenciais em Cabo Verde ocorreram no dia 02 de Outubro de 2016, com três candidatos (Albertino Graça, Jorge Carlos Fonseca e Joaquim Monteiro). Venceu Jorge Carlos Fonseca na primeira volta para um segundo mandato, com 74% dos votos.

AA/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos