Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidenciais’2021: Carlos Veiga garante que “nunca esteve tão bem preparado como agora” para exercer o cargo

Cidade da Praia, 01 Out (Inforpress) – O candidato presidencial Carlos Veiga considerou hoje que nunca esteve tão bem preparado como agora para exercer o cargo de Presidente da República, pelo que promete ser o guardião da Constituição e representante interno e externo da Nação.

Primeiro-ministro de Cabo Verde eleito nas duas primeiras eleições democráticas, de 1991 a 2000, Carlos Veiga, considera ter capacidade, se for eleito, para fazer uma magistratura de influência muito positiva a favor da Constituição e do seu cumprimento integral por todos, assim como propõe ser um Presidente próximo das pessoas, como alega ter sido enquanto governou o País.

“Acredito que as pessoas vão encontrar em mim o mesmo que tiveram enquanto primeiro-ministro deste país nos dez anos. Acho eu que melhorei como pessoa porque vamos ficando melhor com o avançar da idade da visão daquilo que a gente tem do País e da sociedade”, explicou à Inforpress, convicto de que tem todas as condições para sair vitorioso.

Co-autor da Constituição da República de Cabo Verde, Veiga disse ter já uma maturidade política para exercer o cargo pelo qual concorre e admitiu que parte em vantagem em relação à concorrência para ser o guardião da Constituição da República, afirmando que é na Lei Magna que se encontram os poderes e as orientações para as diversas políticas.

“Estas orientações são no fundo, também, a legitimidade do Presidente para exercer uma magistratura de influência em relação aos demais órgãos de soberania e a própria sociedade civil”, realçou Carlos Veiga que se debruça no princípio fundamental em relação aos órgãos da soberania, como a separação e a interdependência à luz da Constituição.

Admite que por ser um candidato da mesma área do partido que governa o País “facilitará” e que será um reforço da estabilidade política e institucional em Cabo Verde.

Carlos Veiga explicou que o lema da campanha da sua candidatura “Unir para Avançar” tem o propósito de fazer com que o novo presidente a ser eleito no próximo pleito eleitoral saiba trabalhar com o Governo através do programa sufragado pelo parlamento no quadro de uma união entre cabo-verdianos, envolvendo os poderes presidenciais, executivos e parlamentares.

Carlos Veiga, que cancelou a deslocação inicialmente prevista para a manhã de hoje ao concelho da Ribeira Grande de Santiago,  deslocou-se esta tarde à ilha do Maio para prosseguir as suas acções de campanha, a primeira desta campanha presidencial fora da ilha de Santiago.

Nas presidenciais do dia 17 de Outubro, nos dois círculos eleitorais, nacional e estrangeiro, concorrem sete candidatos, nomeadamente Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

As últimas eleições presidenciais em Cabo Verde ocorreram no dia 02 de Outubro de 2016, com três candidatos (Albertino Graça, Jorge Carlos Fonseca e Joaquim Monteiro). Venceu Jorge Carlos Fonseca à primeira volta para um segundo mandato, com 74% dos votos.

SR/HF

Inforpress/Fim  

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos