Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Presidenciais’2021: Carlos Veiga é a favor do Estatuto Especial de Cabo Verde junto da CEDEAO

Cidade da Praia, 11 Out. (Inforpress) – O candidato presidencial Carlos Veiga defende a especificidade de Cabo Verde no quadro da Comunidade dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), enquanto um pequeno estado insular, constrangido na adopção de um conjunto de medidas e tratados desta organização.

O candidato da plataforma “Unir para Avançar” manifestou esta preocupação na noite do domingo, durante o segundo e último debate televisão destas eleições presidenciais, promovido pela Rádio Televisão Cabo-verdiana, sublinhando que “Cabo Verde faz muito bem em lutar para que esta especificidade seja efectivamente reconhecida e concretizada num conjunto de actuações que se impõe em benefício deste País.

“É o interesse estratégico de Cabo Verde que exige que nós devamos solicitar a CEDEAO que respeite a especificidade de Cabo Verde como o único estado insular deste grupo sub-regional”, adiantou Veiga, seguro de que caso seja mesmo eleito Chefe de Estado vai trabalhar ao lado do Governo para influenciar positivamente os outros chefes de Estados para que Cabo Verde consiga este estatuto especial.

Considerando que poderá ser um “excelente Presidente” para Cabo Verde, Carlos Veiga foi claro em afirmar que Cabo Verde não pode estar fora da CEDEAO, mas sim dentro desta organização para defender os seus princípios e valores, no quadro da Constituição da República, acrescentando que a política externa cabo-verdiana tem de ser capaz de cumprir as orientações da Constituição com coragem.

A CEDEAO, explicitou, é um espaço que dá a Cabo Verde escala para ter uma capacidade de intervenção em assuntos do plano internacional que se pode reflectir no País.

Em relação ao acordo SOFA com os EUA, disse ser a favor que Cabo Verde garanta a sua segurança no contexto mundial, face aos riscos a que o País está sujeito por causa da sua localização estratégica, uma vantagem que pode tornar-se num grande constrangimento, aclarando que este assentimento não se refere a qualquer acordo de base no País, que seria inconstitucional.

“Cabo Verde tem que se inserir, sim, em sistemas de segurança cooperativa. Tem que trabalhar com outros parceiros para que estes outros parceiros ajudem Cabo Verde a garantir a sua própria segurança. Este tipo de Acordo SOFA é algo que é comum no mundo inteiro, é feito pelas Nações Unidas, é feito por vários países”, clarificou Neves.

Ao 12º dia da campanha presidencial, Carlos Veiga vai estar reunido esta manhã com as Organização Não Governamentais na Cidade da Praia, para logo de imediato deslocar-se a São Nicolau para contactos com os eleitores das ilhas do Norte do País.

Nas presidenciais do dia 17 de Outubro, nos dois círculos eleitorais, nacional e estrangeiro, concorrem sete candidatos, nomeadamente Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

As últimas eleições presidenciais em Cabo Verde ocorreram no dia 02 de Outubro de 2016, com três candidatos (Albertino Graça, Jorge Carlos Fonseca e Joaquim Monteiro). Venceu Jorge Carlos Fonseca na primeira volta para um segundo mandato, com 74% dos votos.

SR/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos