Presidenciais/Guiné-Bissau: Guineenses votam na cidade da Praia em clima de “paz e tranquilidade”

Cidade da Praia, 29 Dez (Inforpress) – Os cidadãos guineenses residentes na cidade da Praia iniciaram as votações para a segunda volta das eleições presidenciais da Guiné-Bissau, que acontece hoje, em clima de “paz e tranquilidade”.

Esta informação foi dada pelos próprios cidadãos guineenses durante a ronda que a Inforpress efectuou esta manhã às assembleias de voto instaladas na capital cabo-verdiana.

Até por volta das 11:00 deste domingo tudo decorria “normalmente”, sem registos de atrasos e nem confusões. As urnas abriram às 7:00 e assim vão permanecer até às 17:00.

Em declarações à Inforpress, à porta da assembleia de voto instalada na Escola de Ensino Básico do Palmarejo, o cidadão guineense Vie Cassama disse esperar que o vencedor destas eleições mude, de facto, a Guiné-Bissau.

“Que o vencedor venha a alterar a situação do país, trabalhando no sentido de atingirmos o nível de desenvolvimento de países vizinhos, como Senegal e Cabo Verde. É disto que estamos à espera. Que o candidato vencedor faça um bom trabalho para que o povo fique contente”, afirmou.

Nesta segunda volta das eleições presidenciais da Guiné-Bissau estão Domingos Simões Pereira, candidato apoiado pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), no poder, e Umaro Sissoco Embaló, com o apoio do Movimento para a Alternância Democrático (Madem-G15).

Mais de 760 mil eleitores da Guiné-Bissau são este domingo convocados às assembleias de voto para elegerem o próximo Chefe de Estado.

A seguir de perto o processo estão missões de observadores internacionais da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), da União Africana, da Organização da Cooperação Islâmica, dos Estados Unidos e do Parlamento britânico.

Assim como aconteceu na primeira volta, a 24 de Novembro, há uma célula de monitorização da sociedade, composta por várias organizações, em toda a extensão do território guineense, a acompanhar quer a votação, quer o escrutínio.

Nenhum dos candidatos alcançou, em Novembro, mais de metade dos votos para conquistar a Presidência à primeira volta. Domingos Simões Pereira não foi além dos 40,13 por cento e Umaro Sissoco Embaló dos 27,65 por cento (%).

Na primeira volta a taxa de abstenção foi de 25,63%, uma marca entre as mais altas de sempre na Guiné-Bissau.

No cair do pano sobre a campanha, o candidato pelo Madem-G15 insistiu na mensagem de que pretende prosseguir o legado do antecessor, José Mário Vaz, excluindo “a forma” como este “permitiu ser insultado”.

Por sua vez, o candidato apoiado pelo PAIGC reafirmou o desejo de ver na Guiné-Bissau uma sociedade “una” e “indivisível”.

Espera-se que os primeiros resultados oficiais do escrutínio sejam conhecidos até à próxima quarta-feira, 01 de Janeiro de 2020.

GSF/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos