Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Preços dos produtos importados em Cabo Verde aumentaram 0,1% em Setembro – INE

 

Cidade da Praia, 23 Out (Inforpress) – Os preços dos produtos importados em Setembro de 2017 aumentaram 0,1%, valor superior em 1,0 ponto percentual (p.p.) face ao registado no mês de agosto.

A taxa de variação mensal dos preços dos produtos exportados fixou-se em -0,8% em Setembro de 2017, diminuindo 2 p.p. face ao valor registado no mês anterior, confirmam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados hoje, na Cidade da Praia.

Os dados do INE revelam também que a taxa de variação mensal registada pelo Índice de Termos de Troca foi de -0,8%, valor inferior em 2,9 p.p. ao registado no mês anterior.

Em Setembro de 2017, o índice de preço da importação situou-se em 81,6 tendo conhecido um ligeiro aumento de 0,1%, relativamente ao mês anterior.

O índice subjacente na importação verificou, em Setembro de 2017, um decréscimo de 2,9% face ao mês anterior.

Por outro lado, o índice volátil na importação aumentou 7,4% face ao mês de Agosto de 2017, segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística.

Por destino económico dos bens, as categorias que contribuíram para a subida de preços na importação foram: Bens intermédios (3,7%).

A subida dos preços, nesta categoria, justifica-se, essencialmente, com o aumento dos custos de outros produtos primários (36,5%) e outros produtos transformados (19,1%); Bens de capital” (21,9%) que se deveu ao aumento de preços de máquinas (29,4%).

Por outro lado, a subida de preços na importação foi atenuada pelas seguintes categorias: Bens de consumo (-3,5%).

A descida dos preços justifica-se com a diminuição dos preços de produtos alimentares primários (-17,5%); Combustíveis (-3,3%) que se justificou com a diminuição da única subcategoria denominada combustíveis1 (-3,3%).

Nas importações por principais secções do SH, registaram-se aumentos mais expressivos de preços nas secções: IV – Produtos das indústrias alimentares, bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres, tabaco e seus sucedâneos manufaturados (4,5%); XV – Metais comuns e suas obras (20,4%) e XVI – Máquinas e aparelhos, material elétrico, e suas partes; aparelhos (18,9%).

As diminuições de preços de maior relevância observaram-se nas secções: II – Produtos do reino vegetal (-27,2%); III – Gorduras e óleos animais ou vegetais, produtos da sua dissociação gorduras alimentares elaboradas, cerras de origem animal ou vegetal (-11,2%) e V – Produtos minerais (-3,2%).

De acordo com o INE estas diminuições contribuíram para atenuar a evolução positiva do índice global da importação.

Em Setembro de 2017, o índice de preço da importação diminuiu 4,8%, relativamente ao mês de Setembro de 2016, revela o estudo do INE.

O índice subjacente na importação verificou, em Setembro de 2017, um decréscimo de 10,4% face ao mês de Setembro de 2016.

O INE confirma, por outro lado, também que o índice volátil na importação aumentou 10,7% face ao mês homólogo de 2016.

No mês de Setembro de 2017, o índice de preço das exportações situou-se em 67,1, correspondendo a um decréscimo de 0,8% face ao mês anterior.

No mesmo período de análise, o índice subjacente na exportação verificou, também, um decréscimo de 0,8% face ao mês anterior, diz o INE.

Por outro lado, o índice volátil na exportação aumentou ligeiramente 0,02% face ao mês de Agosto de 2017 e a taxa de variação homóloga do índice de preço das exportações em Setembro de 2017, situou-se em 6,7%.

O índice subjacente na exportação verificou, em Setembro de 2017, um acréscimo de 7,4% face ao mês de Setembro de 2016.

Entretanto, o índice volátil na exportação diminuiu 4,9% face ao mês homólogo de 2016.

Durante o período em análise registou-se ainda uma ligeira deterioração nos índices de termos de troca, com uma diminuição global de 0,8%, comparativamente ao mês anterior.

Em Setembro de 2017, o Índice de Termos de Troca (ITT) situou-se em 82,2, com uma taxa de variação homóloga positiva de 12,1%.

JL/FP

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos