Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Praia: Tribunal decreta prisão preventiva ao agente da PN suspeito da morte do colega

Cidade da Praia, 23 Nov (Inforpress) – O Tribunal da Comarca da Praia decretou hoje prisão preventiva como medida de coação ao agente da Policia Nacional suspeito de ter assassinado o colega Hamilton Morais, em Outubro último, no bairro de Tira Chapéu, na Cidade da Praia.

Segundo informações policiais, o agente em causa, de 37 anos, que foi detido em cumprimento de um mandado de detenção do Ministério Público esta sexta-feira 22, foi ouvido durante o dia de hoje, pelo juiz que lhe decretou prisão preventiva.

Recorde-se que por volta das 00:15 do dia 29 de Outubro, uma terça-feira, o Serviço de Piquete foi chamado, através do Centro de Comando, para intervir junto de dois indivíduos que se encontravam armados e em situação muito suspeita na zona de Tira Chapéu, na Praia.

“No local, ao se aperceberem da presença policial, os suspeitos puseram-se em fuga e, imediatamente, foram perseguidos, resultando dali disparo de armas de fogo, que terá atingido o agente de primeira classe Hamilton Morais, que foi socorrido imediatamente pelos colegas e transportado para o Hospital Agostinho Neto, onde viria a falecer, momentos depois, referiu na altura a PN em comunicado.

Chegou a ser capturado um indivíduo suspeito, mas este veio a ser liberado pela Polícia Judiciária, por não haver provas que este seria o autor do crime.

O agente Hamilton era, segundo a PN, um profissional “exemplar, dedicado e muito querido” pelos seus colegas e amigos.

Estava na corporação havia 16 anos, tendo trabalhado na ilha da Brava e na Praia.

A Polícia Nacional lamentou profundamente a perda deste colega e “excelente profissional”, que foi o agente Hamilton Morais e endereçou à família enlutada as mais sentidas condolências.

O ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, reagiu a este caso com muita “consternação e preocupação”.

CM/JMV
Inforpress/Fim.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos