Praia: Técnicos da câmara recebem formação para reforço de resiliência e redução de riscos de desastres na cidade

 

Cidade da Praia, 12 Jul (Inforpress) – Um grupo de técnicos da Câmara Municipal da Praia inicia hoje uma formação de três dias visando o reforço de resiliência e redução de riscos de desastres de maneira eficaz na cidade.

A formação é uma parceria da autarquia capitalina e o Programa das Nações Unidas para Assentos Humanos (ONU-Habitat), no âmbito da implementação da Ferramenta para Planeamento de Acções de Resiliência da Cidade (CityRap), que tem como propósito, apoiar e orientar governos locais a planear e implementar acções práticas para reforçar a resiliência das suas cidades e vilas.

Segundo a ONU-Habitat, esta ferramenta está sendo desenvolvida em coordenação com o Centro Técnico para a Gestão de Riscos de Desastres, Sustentabilidade e Resiliência Urbana (DiMSUR), tendo em conta a “problemática do crescimento acelerado” de urbanizações informais e “extremamente vulneráveis” a uma variedade de desastres naturais nas cidades e vilas da África Subsaariana.

Para além da Praia, Santa Catarina do Fogo e Espargos foram as cidades escolhidas para beneficiar da assistência técnica-piloto da Ferramenta CityRap em Cabo Verde, mas em Novembro de 2016, um grupo de 34 técnicos da Praia, Pedra Badejo, Santa Catarina do Fogo, Mindelo, Ribeira Brava e Espargos receberam uma formação de formadores, numa parceria entre a ONU-Habitat e o Ministério das Infra-estruturas, Habitação e Ordenamento do Território.

De acordo com a mesma fonte, grande parte da urbanização acelerada nas cidades e vilas da África Subsaariana acontece de maneira espontânea, ou seja, sem o acompanhamento de planos e regulamentação, resultando em um grande número de residentes urbanos que vive em assentamentos informais e que são, muitas vezes, vulneráveis a uma variedade de desastres naturais e antropogénicos.

Neste sentido, a ONU-Habitat explica que a Ferramenta CityRap tem como alvo principal, os governos de cidades pequenas e médias com pouca ou nenhuma experiência em redução de risco de desastres e construção de resiliência, sendo que o resultado final do processo é o Quadro de Acção para a Resiliência da Cidade.

O quadro é um documento de referência que permite aos governos locais e outras instituições pertinentes, integrar a resiliência nas políticas, planos, orçamentos, desenhos institucionais e acções concretas existentes e futuras.

Actividades de autoavaliação, mapeamento participativo de riscos, discussões em grupos focais, planeamento de acções de maneira transversal, estão entre os métodos a serem utilizados para a implementação da ferramenta.

A cerimónia de abertura da formação em Ferramenta CityRap a decorrer entre 12 e 14 de Julho na sala de reuniões da CMP, será presidida pelo edil Óscar Santos, com intervenção da coordenadora da ONU-Habitat em Cabo Verde, Janice da Silva, a partir das 08:30.

DR/AA

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos