Praia: Rede das associações comunitárias pretende realizar em Agosto nova manifestação social

Cidade da Praia, 07 Jan (Inforpress) – A Rede das Associações Comunitárias e Movimentos Sociais (RACMS) da Praia pretende realizar este ano, à semelhança do que aconteceu no mês de Agosto de 2022, nova manifestação social, em protesto contra vários aspectos que precisam ser melhorados.

A informação foi avançada à Inforpress pelo membro da rede Bernardino Gonçalves, para quem essa manifestação realizada sobre o lema “Sima nu sta nu ka podi fica” (Como estamos não podemos continuar) constituiu um ponto alto desta rede que une várias associações comunitárias e movimentos sociais da Praia.

Segundo lembrou, foi das maiores manifestações da sociedade civil na Praia, “que há muito não tinha acontecido”, apesar de não contar em termos numéricos com maior número de pessoas, que não participaram por “razões diversas”.

“E, portanto, em Agosto de 2023 vamos ter mais um protesto de rua sobre o estado da Nação, à semelhança do que aconteceu no ano passado. E agora estaremos com mais experiência, com mais conhecimento, e vai ser, seguramente melhor”, afiançou.

De entre os pontos de indignação, a RACMS tinha indicado na altura, a insegurança e situação da justiça, a saúde e transferência de doentes, o desemprego, a precariedade laboral e desigualdade salarial e a situação dos transportes (marítimos e aéreos).

Ainda, no decorrer deste ano, Bernardino Gonçalves aventou a possibilidade da rede em se formalizar, justificando que se encontra, neste momento, à procura de qual a melhor estrutura, melhor formato para se formalizar.

Em 2023, a RACMS da Praia, quer também, conforme este responsável, retomar a celebração popular do 5 de Julho [dia da Independência nacional], uma data, que, segundo este responsável, ficou quase como uma celebração de algumas pessoas.

“Mas ela é algo popular, então em 2023 queremos realizar a segunda edição da celebração popular do 5 de Julho para analisarmos e reflectirmos se a independência está a chegar de facto a todos, se os ganhos da independência tem chegado a todas as ruas, a todos os recantos da cidade”, afirmou.

A RACMS afirma-se como um espaço de articulação e reflexão com participação de mais de 40 associações e colectivos na Praia, que tem como principal objectivo a construção colaborativa de uma agenda comum voltada para a emancipação.

ET/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos