Praia: PAICV diz não ter verificado marcas efectivas dos três anos de Governação em Achada Grande Trás

Cidade da Praia, 28 Abr (Inforpress)- O vice-presidente da Comissão Política Regional de Santiago Sul (CPRSS) do PAICV afirmou hoje que não verificaram “marcas efectivas” dos três anos de Governação do MpD, na comunidade de Achada Grande Trás, arredores da Cidade da Praia.

Florenço Varela fez esta constatação à imprensa, no final da 18ª reunião ordinária descentralizada da Comissão Política Regional de Santiago Sul (CPRSS) do Partido Africano de Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), que teve lugar no bairro de Achada Grande Trás, para análise da situação política, e contactos com a população local.

Com base nos contactos feitos junto da comunidade, Florenço Varela disse que os permitiu fazer uma análise da situação política local que não difere da avaliação que os cabo-verdianos fazem.

“A apreciação é a que a maioria dos cabo-verdianos faz. Não há impacto, não há efeito, visível, palpável da governação ainda em relação a situação governativa”, considerou.

Na região Santiago Sul, referiu, a situação do emprego é crítica, não obstante a promessa de emprego, o custo de vida está bastante agravado, devido aumento do preço de combustível com efeitos em outros sectores.

Particularmente ao bairro de Achada Grande Trás, a mesma fonte disse que não verificaram “marcas efectivas” dos três anos de governação do Movimento Para a Democracia (MpD) e tão pouco constataram obras municipais.

Das preocupações apresentadas por esses moradores, o vice-presidente da CPRSS destacou problemas relacionados com o Complexo “Casa para Todos, em que os moradores se mostraram indignados devido a tentativa do aumento do preço de renda inicialmente acordado e de alterações dos contratos.

“Há casos preocupantes de furtos nas residências das pessoas, o emprego aqui é bastante preocupante, os pescadores pediram socorro porque estão numa situação bastante dramática e a questão da habitação social verificamos uma degradação, bastante, terrível de tectos a cair (…) grande parte das casas não dispõem de condições básicas para habitabilidade”, elencou, ajuntado que este bairro carece de espaços de lazer e de diversão para a juventude.

AM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos