Praia de São Francisco recebe o I Festival de música electrónica “Terra Sagrada”

Cidade da Praia, 06 Mai. (Inforpress) – A praia de São Francisco, em São Domingos, vai acolher de 24 a 26 de Novembro, o I Festival de Música Electrónica, denominada “Terra Sagrada”, iniciativa da empresa 1456 produções, porfiada na criação de um produto turístico.

“Zero Lixo” é o lema deste festival projectado para ser totalmente ecológico.Os mentores Anna Topliysky (búlgara de nacionalidade) e Hélder Pereira (portuguesa/francesa) adiantaram à Inforpress que o “Terra Sagrada São Francisco” vai dedicar 13 horas diários de espectáculos, das 17:00 às 06:00.

A organização garante que o certame vai contar com o concurso de “artistas praticamente do mundo inteiro” em representação de países como Quénia, África do Sul, França, Luxemburgo, Estados Unidos da América, por forma a unir os três continentes, isto é, Europa, África e América, estando neste momento em análise a participação de artistas crioulos.

Aero Manyelo, Cincity, Coco Em, Cosmic Boys, Fakear, Floyd Lavine, Markus Volker, Nure, Netty Hugo, Parra For Cuva e And More são os artistas e grupos já confirmados para o Terra Sagrada São Francisco’2021.

1456 Produções, segundo Anna Topliysky, tem estado a trabalhar em parceria com empresas produtoras cabo-verdianas como a Cabosom e estrangeiras na Europa, tendo sublinhado que os bilhetes para a entrada já se encontram à venda ao preço de 10.000$00 para os três dias ou passes diários a 3700$00, valor considerado 30% mais barato em comparação com preço praticado na Europa.

São Francisco, segundo explicou Hélder Pereira à Inforpress, foi escolhida por ser uma praia selvagem e óptima, perto da capital, pouco movimentada, mas que merece uma maior visibilidade, razão pela qual a organização está a trabalhar, juntamente com a autarquia local, para dar esta projecção à localidade.

Os promotores do evento afirmaram que já levaram um longo tempo na preparação deste certame internacional e que tem uma estimativa para trazerem cerca de 3000 turistas para o “Terra Sagrada São Francisco”, para além do povo cabo-verdiano.

De acordo com os mentores, 10 por cento da receita deste festival ecológico destina-se à plantação de árvores em São Francisco e formação para a comunidade local.

O 1456 produções quer aproveitar a idealização deste festival para dar mais visibilidade internacional a Cabo Verde, pois considera que a música electrónica, a terceira melodia mais ouvida do mundo, seguida da música pop e de rock, tem o seu público específico e leal.

A organização quer aproveitar este ensaio em Cabo Verde para expandir o festival de música electrónica em África,

SR/JMV
Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos