Praia: Comunidades da Achada Santo Amónio e de Lém-Ferreira celebram hoje Santo António

Cidade da Praia, 13 Jun (Inforpress) – A população dos bairros de Achada Santo António (ASA) e de Lém-Ferreira, na Cidade da Praia, celebram hoje a tarde o santo devoto numa missa ao Santo António pelas 16:00.

“Há dois anos que não realizamos a procissão devido à situação da covid-19, mas este ano, embora estejamos ainda com o vírus, vamos celebrar o santo devoto dos achadenses com a procissão que vai percorrer a zona de Brasil”, disse o pároco de ASA, Constantina Bento.

Segundo o padre da paróquia da Nossa Senhora de Socorro, a celebração do Santo António em ASA é muito “forte”, pois, as pessoas desta comunidade celebram com “coração” o Santo devoto.

Katia Souto Amado, que foi acolhida pela comunidade de ASA quando chegou da ilha do Fogo, disse que aprendeu a respeitar a devoção dos achadenses pelo Santo António, até que se tornou também devota.

“Todos os anos pago a minha promessa como juíza do Santo António e ofereço uma canja aos vizinhos e quem queira”, disse.

Já Emanuel António, afirma que a sua devoção veio com a explicação que a mãe lhe deu por ter nascido a 14 de Junho.

“A minha mãe disse que assistiu toda a procissão e missa com barriga já no fim de espera e que no dia 14 foi ao hospital para o meu nascimento”, disse explicando o seu nome Emanuel, do país, e António de Santo António, dia a devoção.

Para celebrar o santo devoto, o padre Constantina Bento apela a todos a fazerem-na com entusiasmo, mas com cuidado porque covid-19 ainda está entre nós.

“Santo António é um homem fiel a Deus, um justo e uma luz, que aceita levar a luz aos outros, pelo que convido os achadenses a aceitarem levar a luz que possuem aos outros”, disse, convidando a todos a se empenharem nisso para uma maior libertação.

Nascido em uma nobre família portuguesa, Fernando António de Bulhões, conhecido como Santo Antônio de Pádua, entrou para a história. Natural de Lisboa, Portugal, viveu o radicalismo dos estudos e uma vida de oração. Com conhecimento e grande poder de pregação, tornou-se discípulo de São Francisco de Assis e, com ele, aprendeu a viver uma vida de entrega aos mais necessitados.

Muito além do famoso título de santo casamenteiro, António tornou-se padroeiro das coisas perdidas, dos pobres e ficou conhecido, também, como santo dos milagres. Actualmente, é um exemplo a ser conhecido e imitado por centenas de fiéis católicos que, hoje, celebram o dia a ele devotado.

PC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos