Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Praia: CMP redefine horário de recolha de lixo para vazão ao problema de lixo na capital

Cidade da Praia, 18 Jul (Inforpress) – O Serviço de Saneamento da Câmara Municipal da Praia (CMP) decidiu redefinir o horário de recolha de lixo, na cidade, como forma de dar vazão ao problema, situação que tem gerado muitas críticas por parte dos munícipes.

Através de um comunicado publicado na página da CMP, o serviço de saneamento adianta que “depois de analisar as variáveis que influenciam a produção do lixo doméstico, dos estabelecimentos comerciais e das indústrias, redefiniu as rotas de recolha do lixo e os horários em que estas serão efectuadas”.

De acordo com o novo horário, o trabalho vai iniciar-se às 07:30 com a recolha porta-a-porta que se prolonga até às 15:00 e no período da tarde será feita a recolha do lixo nos contentores, devendo o trabalho prolongar-se até às 23:00.

O quadro mostra que há zonas em que só haverão apenas recolhas porta-a-porta e outras só nos contentores.

O Serviço de Saneamento da CMP pede a colaboração de todos os munícipes para que o processo de recolha decorra, de forma programada, e apela aos mesmos a se engajarem, de forma activa, em prol da melhoria progressiva do serviço de saneamento no município da Praia.

A recolha do lixo na capital tem sido muito criticada nas redes sociais, com muitos munícipes a postarem fotos de lixos amontoados em vários bairros.

O assunto foi motivo de uma conferência de imprensa do coordenador da Comissão Política Concelhia da Praia do Movimento para a Democracia (MpD, oposição na câmara) que disse que o presidente da câmara tem se manifestado incapaz de liderar a autarquia.

Alberto Melo frisou que a capital do País tem se tornado uma cidade de lixeira a céu aberto, com desorganização do comércio informal, incapacidade de resposta dos serviços, paralisação de obras estruturantes e incumprimento de compromissos assumidos.

Em reação o edil praiense Francisco Carvalho recusou hoje a ideia de que há retrocesso a esse nível, explicando que o saneamento básico e a recolha de lixo exigem “planificação, estudo, análise e tomada de decisão”.

Francisco Carvalho garantiu, entretanto, que irá fazer com que a Cidade da Praia “dê um salto que é preciso” nesta matéria.

MJB/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos