Praia: Autarca pede “análise aprofundada” da questão da insegurança com base nas estatísticas

Cidade da Praia, 07 Mai (Inforpress) – O edil praiense, Francisco Carvalho, pediu hoje uma “análise aprofundada” da questão da insegurança, com base nas estatísticas, e indicou que a autarquia tem apostado na prevenção para fazer face à situação que vem sendo vivida na Praia.

“Eu acho que a melhor abordagem que deve ser feita em relação a esta questão de insegurança deve passar por uma análise de dados. Temos de falar com olhos nos dados porque é uma matéria sensível e há opiniões e sensibilidades diferentes, divergentes e contrárias até”, disse, quando instado a comentar os casos ultimamente registados e o debate que tem sido feito à volta da questão da insegurança na Praia.

Francisco Carvalho sustentou que é necessário ver que tipos de confrontos, que tipos de crimes e qual tem sido a evolução no tempo e no espaço e a evolução da situação, em vez de estar a fazer análises com base em opiniões e subjectividades, que, na sua perspectiva, pode até contribuir para agravar ainda mais a situação.

O edil praiense reconhece que a situação não é boa e afirmou que a autarquia já está a tomar as medidas no sentido contribuir para se ter um melhor ambiente social e um clima de paz na cidade da Praia.

“Nós estamos a procurar a actuar na prevenção. Entendemos que assim tem de ser, porque a matéria de violência, de criminalidade e insegurança deve ser enfrentada com aposta na prevenção. E nas apostas que fizemos juntos das associações comunitárias nós pedimos contrapartidas”, disse, referindo-se aos protocolos assinados.

Conforme indicou, uma dessas contrapartidas é no sentido de as mesmas sinalizarem e identificarem os jovens em riscos nos bairros para depois permitir que a Câmara tenha algum tipo de intervenção junto destes jovens.

“Portanto é actuar na formação, encaminhar-lhes para formação, para actividades nas associações e para actividades alternativas sadias. Temos também o programa em curso que é de agentes de desenvolvimento comunitário, que tem várias atribuições dentro das localidades e das comunidades, sendo um específico em relação a esta preocupação de contribuir para construção da paz e de um ambiente de segurança e tranquilidade”, disse.

A ideia, segundo Francisco Carvalho, é de um trabalho de proximidade para que as associações possam dar o maior contributo possível na prevenção de casos de violência e criminalidade.

Na cidade da Praia, num espaço de pouco mais de 24 horas dois jovens foram assassinados. O primeiro caso aconteceu no dia 05 de Maio, por volta das 13:00, em que um jovem na casa dos 20 anos morreu após ter sido atingido a tiro, no bairro de Achada Grande Trás.

Outro caso aconteceu no dia 06, em Achada Grande Frente, onde um jovem de 33 anos foi agredido à facada, na sequência de um assalto, e não resistiu aos ferimentos.

MJB/JMV
Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos