Praia acolhe segunda edição do Seminário Internacional Tecendo Redes Antirracistas – Áfricas, Brasis e Portugal

Cidade da Praia, 19 Jun (Inforpress) – O “Koletivu Nhanha Bongolon” promove de 26 a 29 de Junho, a segunda edição do Seminário Internacional Tecendo Redes Antirracistas – Áfricas, Brasis e Portugal, um evento que visa debater as questões raciais que envolvem os países de colonização portuguesa.

Em declarações à Inforpress, Redy Lima, membro da rede, explicou que a iniciativa da realização do seminário surgiu em 2017 quando um grupo de activistas sociais e pesquisadores decidiu criar uma rede internacional para a promoção de debates e encontro de reflexão sobre os temas ligados ao racismo e colonialismo.

“A primeira edição decorreu em Brasil e contou com a participação de Brasil, Portugal Cabo Verde e Guiné-Bissau. Este ano estamos a promover a segunda edição em Cabo Verde, cujo primeiro dia será marcado pelo lançamento do livro e no segundo e terceiro dias teremos cinco painéis e duas conferências na Universidade de Cabo Verde”, indicou.

Conforme explicou, a África e o Brasil estão no plural por entenderem que “não existe uma única Africa”, mas sim um continente diverso e um Brasil que na sua essência é um país com muitas diversidades, referindo que Portugal pela sua “unidade” ficou com a denominação no singular.

A organização, de acordo com Redy Lima, pretende com a segunda edição do Seminário Internacional Tecendo Redes Antirracistas – Áfricas, Brasis e Portugal criar uma plataforma de reflexão e de luta contra o racismo.

“Queremos com o evento discutir temas que não são abordados em Cabo Verde, nomeadamente a questão racial, que ainda é um tabu na nossa sociedade. Perspectivamos ainda com este evento mostrar que é possível se fazer a produção de pesquisas fora do ambiente universitário”, realçou, que à semelhança do ano anterior, após a realização da segunda edição será feita a apresentação do livro sobre o referido evento.

O evento terá duas conferências: A reafricanização dos espíritos através da vivência de códigos culturais de resistência diaspórica e o Reinventando-se nas ilhas: africanos cativados perante as estratégias de dominação escravocrata nos primórdios da construção do mundo atlântico.

Durante o encontro serão abordados cinco painéis com os temas sobre Educação antirracista e ação política, África(s) e políticas de diferenciação, Territórios, movimentos sociais e luta contra a recolonização, Resistência negra: ancestralidade e identidade Migrações regionais em África e discriminação racial.

O Seminário Internacional Tecendo Redes Antirracistas – Áfricas, Brasis e Portugal é promovido pelo “Koletivu Nhanha Bongolon” em parceria com o Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares da Universidade de Brasília, Centro de Estudo Amílcar Cabral de Guiné-Bissau e Fundação Amílcar Cabral.

CM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos