Cidade da Praia acolhe em 2018 o Centro Internacional da Música Crioula e das Ilhas

 

Cidade da Praia, 15 Nov (Inforpress)- A Cidade da Praia vai acolher, em 2018, o Centro Internacional da Música Crioula e das Ilhas, um projecto que vai ser desenvolvido no âmbito da classificação da Praia como Cidades Criativas, informou hoje o vereador da Cultura, António Lopes da Silva.

No âmbito da candidatura da Cidade da Praia à rede de Cidades Criativas das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), na categoria de Música, a autarquia apresentou no caderno de encargo um conjunto de actividades que vão reforçar a Cidade da Praia na área cultural.

Em declarações à Inforpress, António Lopes da Silva disse que este plano de actividade, que vai ser materializado pela autarquia e por uma unidade operacional de gestão, abarca seis pontos importantes.

O primeiro ponto, destacou, é a criação de um Centro Internacional da Música Crioula e das Ilhas, prevendo-se a participação de músicos, investigadores, produtores e instituições de diversas áreas.

“Vai ser um espaço para promover a troca de experiências e do desenvolvimento de acções, de festivais e de fusão da música de diferentes continentes, Caraíbas, África e ilhas e vai também aproveitar-se um pouco da nossa história, da nossa geografia e da nossa cultura”, afirmou.

Um aspecto relacionado com este centro, indicou, é a transmissão de aprendizagem informal da música, isto é, a capital do país, apesar de não ter uma escola de música, depara com muitas pessoas que tocam, mas que apreenderam na informalidade.

Através deste centro, a autarquia vai trazer formadores para ensinar a outra parte formal da música, através de cursos de música e de residência musical, informou.

Outro ponto relevante no plano de actividade, segundo o vereador, é a criação dos embaixadores criativos da Praia – Cidade Musica, ou seja, vai ser aberto um concurso, anualmente, em que os artistas e agentes culturais devem apresentar um projecto para financiamento.

Caso o projecto seja aceite por uma comissão constituída pelos membros da Cidade Criativa, os vencedores vão ter oportunidade de mostrarem os seus trabalhos nas diversas Cidades Criativas da UNESCO.

Um outro projecto que considerou de “muito importante” é o turismo cultural, em que vão trazer para a Cidade da Praia turistas que querem entrar em contacto com a música cabo-verdiana e com os instrumentos musicais.

Neste âmbito, esperam trazer para a capital do país cerca de mil turistas, mas para isso, assegurou, vão, juntamente com as agências de turismo, criar pacotes para promover esse encontro de músicos.

A Praia vai ainda receber um festival de música com a participação dos músicos que estão integrados nas diversas cidades criativas.

Para a planificação e a materialização dessas actividades a partir de 2018, informou que vão criar uma unidade operacional de gestão da Praia – Cidade da Música, que será integrada pela direcção da Cultura da câmara e por outras estruturas ligada à música.

No que concerne ao orçamento para a realização dessas actividades, António Lopes da Silva disse que são precisos 33 mil contos em que 40 por cento (%) do valor vão para as actividades nacionais e os 60 % para as internacionais.

A autarquia pretende mobilizar esta verba através do tesouro municipal e, também, junto da UNESCO, das Cidades Criativas e das empresas privadas interessadas em investir neste tipo de certame.

Apesar da capital do país ser conhecida pelas diversas actividades culturais que recebe anualmente, como festival da Gamboa, Kriol Jazz festival, Atlantic Music Word, CVMA, entre outros, o vereador acredita que a entrada da Praia na rede de Cidades Criativas vai trazer “coisas de qualidade e diferentes” e privilegiar a criatividade.

AM/JMV

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos